terça-feira, 24 de fevereiro de 2015

QUARESMA - Capela de S. Caetano

Abrimos a porta do nosso coração e deitamos fora todas as "pedras" que são um obstáculo ao nosso arrependimento, deixando que a alegria do Evangelho ali permaneça.

Quem o desejar, gravará o seu nome numa pequena pedra, colocando-a junto das restantes que se encontram a fazer caminho... simbolismo para o caminho que nos leva à conversão.

Dinâmica adaptada da Catequese Diocese Do Porto

segunda-feira, 23 de fevereiro de 2015

TEMPO DE PREPARAÇÃO ESPIRITUAL

Inicia-se hoje, um "tempo favorável" com a primeira catequese Quaresmal, feita pelo Pe, Jerónimo, reitor do Seminário da Boa Nova, e que nos ajudará nesta caminhada a preparar o grande encontro Pascal com o Senhor Ressuscitado. A não perder, hoje, às 21h30, no Centro Paroquial,

I DOMINGO - ARREPENDE-TE

Para meditar e viver 
Proposta para o caminho quaresmal dos Catequistas e Catequizandos 
Sugere-se que leia e reflita o trecho do Evangelho Mc 1,12-15 e a citação da “Evangelii Gaudium”:

«Como nos faz bem voltar para Ele, quando nos perdemos! Insisto uma vez mais: Deus nunca Se cansa de perdoar, somos nós que nos cansamos de pedir a sua misericórdia. Aquele que nos convidou a perdoar «setenta vezes sete» (Mt 18, 22) dá-nos o exemplo: Ele perdoa setenta vezes sete. Volta uma vez e outra a carregar-nos aos seus ombros. Ninguém nos pode tirar a dignidade que este amor infinito e inabalável nos confere.» E.G.3 (Evangelii Gaudium nº 3, do Papa Francisco) 
«A Igreja deve ser o lugar da misericórdia gratuita, onde todos possam sentir-se acolhidos, amados, perdoados e animados a viverem segundo a vida boa do Evangelho.» E.G.114

Reflexão para o catequista

No Evangelho, em que «Jesus desce ao chão de Israel -deserto- para assumir as suas fragilidades, elevando a dura realidade do pecado do povo, do nosso pecado, a um registro de salvação (D.A.C.)» que descubro do projeto de Salvação que Deus tem para o seu povo, para mim?
Ao contemplar o jeito como Deus salva e perdoa, que experiências da minha vida precisam de ser perdoadas e curadas? Como voltar o coração para Deus, arrepender-me?
Em que medida, converter-me e voltar a minha vida para Deus, me faz viver na alegria e me faz querer contagiá-la ao próximo?

No grupo de catequese 

Um tempo para construir (ou montar as portas já feitas, de preferência) as 7 portas que se abrirão, na sala de catequese. Sugere-se que se peça a colaboração das famílias para esta construção.

Um tempo de reflexão

Abrir a 1ª porta e ler/escrever a palavra “Arrepende-te”.  Ler o Evangelho do dia e as citações do Papa Francisco. (Até ao 3 ano ler alguns versículos do Evangelho e uma frase significativa do Papa Francisco). Estabelecer um breve diálogo (a partir da perguntas feitas para a comunidade-junto dos textos) Escolher e escrever na porta a frase mais significativa para o grupo.

Um tempo de oração 
Convidar a repetir, no silêncio interior, várias vezes:  “ Dou-te graças Pai, porque me amas e perdoas sempre”. Convidar os catequizandos a rezar. Senhor Jesus,

Obrigado, porque me perdoas sempre,
Porque me convidas a arrepender, a voltar para ti o coração.
Bem sabes que sozinho não sou capaz de viver ao teu jeito,
de perdoar como perdoas, de fazer o bem a toda a gente.
Peço-te, que durante este tempo de quaresma,
me ajudes a compreender que quando vivo como Tu desejas
e rezo, converso contigo, as coisas correm bem melhor
sinto mais força e nunca me sinto só.
Fica comigo, ao longo destas 7 semanas, 
e ajuda-me a ter o coração voltado para ti 
e para todos os que me rodeiam. Ámen.

Um gesto significativo - compromisso a realizar ao longo da semana. Convidar a recordar o dia e a rezar antes de adormecer: “ Dou-te graças Pai, porque me amas e perdoas sempre”. Convidar a realizar o gesto proposto na comunidade

Para uma memória agradecida

Dar um breve tempo para que os catequizandos escrevam o compromisso, a palavra da semana e uma mensagem no seu diário, na “porta pessoal”.

Arrepende-te- para viver pessoalmente e em FAMÍLIA 

Convite: Escrever na 1ª porta o nome de três pessoas com quem se deseja mudar de atitude e, ao longo da semana, pôr em prática gestos de proximidade, reconciliação, ajuda, atitudes que permitam viver a verdadeira alegria.

TEMPO DA QUARESMA

Ao entrarmos no tempo santo da Quaresma,
Devemos ter a coragem 
de atravessar a poeira dos caminhos
intransitivos do nosso coração,
isto é, de limpar as mentiras, 
ódios, raivas, violências, banalidades,
que tantas vezes preenchem os nossos dias.
A Quaresma é tempo de nos expormos
ao vendaval criador e purificador do Espírito,
sem termos a pretensão 
de o querer transformar em ar condicionado.
Toma em tuas mãos, Senhor,
A nossa terra ardida.
Beija-a.
Sopra nela outra vez o teu alento,
a tua aragem,
e veremos nela outra vez impressa a tua imagem.
Tu sabes bem, Senhor, que somos frágeis.
Mas contigo por perto,
seremos fortes e ágeis,
capazes de abrir estradas no deserto,
a céu aberto.

D. António Couto

domingo, 22 de fevereiro de 2015

DOMINGO I DA QUARESMA - Ano B


SALMO RESPONSORIAL Salmo 24 (25), 4bc-5ab. 6-7bc. 8-9 (R. cf. 10)
Refrão: Todos os vossos caminhos, Senhor,
são amor e verdade para os que são fiéis à vossa aliança.

Mostrai-me, Senhor, os vossos caminhos,
ensinai-me as vossas veredas.
Guiai-me na vossa verdade e ensinai-me,
porque Vós sois Deus, meu Salvador.

Lembrai-Vos, Senhor, das vossas misericórdias
e das vossas graças que são eternas.
Lembrai-Vos de mim segundo a vossa clemência,
por causa da vossa bondade, Senhor.

O Senhor é bom e recto,
ensina o caminho aos pecadores.
Orienta os humildes na justiça
e dá-lhes a conhecer a sua aliança.

sexta-feira, 20 de fevereiro de 2015

«ÉS PÓ, E AO PÓ VOLTARÁS»

Quando? Amanhã? No próximo ano? Daqui a 20 anos? Que importa... Esse grão de pó sobre a tua cabeça é o teu destino inelutável. Por isso emprega bem os teus curtos anos, converte-te, volta-te para Cristo, que só Ele te pode dar perdão e vida.

É assim que na Quarta-feira de Cinzas começamos a Quaresma, tempo de conversão e austeridade, mas também tempo de uma alegria contida, a alegria de um coração purificado. Trata-se de nos prepararmos para as festas pascais. A Quaresma é o caminho para uma festa!

«Quando jejuardes, não mostreis um ar sombrio, como os hipócritas, que desfiguram o rosto para que os outros vejam que eles jejuam. Em verdade vos digo: já receberam a sua recompensa» (Mateus 6,16).

Escutemos bem estas palavras e apliquemo-las como norma de conduta, não apenas na Quaresma mas em toda a nossa vida cristã, porque ela não é senão uma longa preparação para as festas pascais definitivas.


quinta-feira, 19 de fevereiro de 2015

QUARESMA 2015


Há sempre um tempo em que sentimos a necessidade de pôr as “coisas em ordem” ou de pôr “ arrumação na casa” ou ainda pôr “a casa em ordem”. Tudo expressões para significar, no final de contas, fazer um “balanço” das nossas contas ou das nossas coisas, nele estando implícita a consciência de que há coisas a mais ou fora do sítio ou contas que não batem certo. E implica ponderar, fazer escolhas, fazer esforço, fazer planos para que possam ser corrigidos os desvios encontrados.
Assim é a quaresma para um cristão – o Tempo favorável ao balanço da sua vida!
Tomar consciência das coisas e das contas que precisam ser colocadas em ordem. É tempo da revisão, da renovação ou da elaboração de planos e da vontade séria de corrigir desvios. Precisamos sentir essa necessidade e vontade de “arrumar”. Quanto maior for a arrumação da nossa vida, mais disponibilidade teremos para olhar para os nossos irmãos, por quem Deus continua a perguntar-nos.
Que Deus nos dê a graça de nos sentirmos pecadores, como nos diz o Papa Francisco.

Os catequistas do 10.º

MENSAGEM DO PAPA FRANCISCO PARA A QUARESMA DE 2015

1. « Se um membro sofre, com ele sofrem todos os membros » (1 Cor 12,26) – A Igreja.
2. « Onde está o teu irmão? » (Gn 4,9) – As paróquias e as comunidades
3. « Fortalecei os vossos corações » (Tg 5,8)– Cada um dos fiéis

QUARESMA 2015 - Celebração das Cinzas

quarta-feira, 18 de fevereiro de 2015

QUARESMA, TEMPO DE GRAÇA

 "Agora é tempo de graça"
Quaresma não é só 
tempo de jejum e abstinência,
de cor roxa e pensamentos de morte.
Quaresma é caminho de vida.
Recorda-nos que nós vimos do pó
e ao pó voltaremos,
e também nos diz que Deus 
nos vai retirar da cinza.

Os Domingo da Quaresma - Ano B 
 Juan Járegui, Edições Salesianas

terça-feira, 17 de fevereiro de 2015

INÍCIO DA QUARESMA

QUARTA FEIRA CINZAS - 18 de Fevereiro, MISSA DAS CINZAS
às 16h00 e às 21h30h, na Capela de S. Martinho
Na Quarta-feira de Cinzas (e na Sexta-feira Santa) a Igreja aconselha os fiéis a fazerem jejum e a não comerem carne. 
Esta tradição já existe há muitos anos e tem como propósito fazer com que os fiéis tomem parte do sacrifício de Jesus. Aquele que crê também pode fazer um sacrifício, abstendo-se de uma coisa que gosta, neste caso, a carne. Pode e deve traduzir também por outra coisa importante para si...

QUARTA-FEIRA DE CINZAS

SALMO RESPONSORIAL Salmo 50 (51), 3-4.5-6a.12-13.14.17  (R. cf. 3a)

Refrão: Pecámos, Senhor: tende compaixão de nós.

Compadecei-Vos de mim, ó Deus, pela vossa bondade,
pela vossa grande misericórdia, apagai os meus pecados.
Lavai-me de toda a iniquidade
e purificai-me de todas as faltas.

Porque eu reconheço os meus pecados
e tenho sempre diante de mim as minhas culpas.
Pequei contra Vós, só contra Vós,
e fiz o mal diante dos vossos olhos.

Criai em mim, ó Deus, um coração puro
e fazei nascer dentro de mim um espírito firme.
Não queirais repelir-me da vossa presença
e não retireis de mim o vosso espírito de santidade.

Dai-me de novo a alegria da vossa salvação
e sustentai-me com espírito generoso.
Abri, Senhor, os meus lábios
e a minha boca cantará o vosso louvor.

QUARESMA 2015


O Papa Francisco desafia nesta Quaresma a Igreja e a sociedade a superar o “mar da indiferença” que ignora o sofrimento de milhões de pessoas em todo o mundo.
“Ter um coração misericordioso não significa ter um coração débil. Quem quer ser misericordioso precisa de um coração forte, firme, fechado ao tentador mas aberto a Deus; um coração que se deixe impregnar pelo Espírito e levar pelos caminhos do amor que conduzem aos irmãos e irmãs; no fundo, um coração pobre, isto é, que conhece as suas limitações e se gasta pelo outro”.

segunda-feira, 16 de fevereiro de 2015

MISSÃO: RECICLAR NA CATEQUESE

A protecção do ambiente em que vivemos é uma missão importante para todos nós. Por isso, este ano a catequese decidiu empenhar-se ainda mais para levar por diante essa tarefa. 
Foi proposto a cada ano que com imaginação decorasse o seu caixote ou cesto, para receber o material a reciclar.
E, na verdade, surgiram ideias bastante criativas, que já estão a dar resultado, porque ninguém fica indiferente a este apelo de separar o lixo e manter cada sala mais limpa e organizada.
Incentivar estes procedimentos e criar em todos uma consciência de defesa dos valores ambientais é uma missão da responsabilidade de todos os cristãos.
Para isso nos tem alertado muitas vezes o Papa Francisco, e que a esse propósito se referiu - mais uma vez - com preocupação no passado dia 9 de Fevereiro, dizendo que:- "um cristão que não se preocupa com a defesa do ambiente é alguém a quem “o trabalho de Deus não interessa”.
Em Janeiro o Papa Francisco já tinha revelado que a sua próxima encíclica, sobre a ecologia, vai ser publicada entre Junho e Julho, ainda a tempo de pressionar a comunidade internacional para decisões corajosas na Conferência do Clima 2015, em Paris. 
Portanto, esta nossa missão tem que continuar com muito entusiasmo e dedicação. Cada ano sabe o que tem de fazer pela escala distribuída. E, se cada um se empenhar, o sucesso da missão está garantido. Força para todos!

domingo, 15 de fevereiro de 2015

A CIDADE AINDA TEM LUGAR PARA O SAGRADO?


Como entender e alargar os espaços do sagrado na cidade? Estes, com efeito, não se limitam às igrejas e aos lugares de culto, mas estendem-se a todos os recantos onde vivem, sofrem e esperam as pessoas. Santo Ireneu escrevia que o homem vivo dá glória a Deus ainda antes que o esplendor das catedrais. Cada ser humano é templo vivo do Espírito Santo (1 Coríntios 13, 16-17), e, enquanto tal, é titular de sacralidade e de suma dignidade.

FOLHA DOMINICAL-Informações e Reflexões Importantes para a Comunidade



sábado, 14 de fevereiro de 2015

FESTA DE CARNAVAL 2015

Era sexta-feira e foi tudo para a brincadeira! 
 Festa animada a do Carnaval 2015, 
no Centro Paroquial, organizada pela catequese. 
 Máscaras bonitas e originais, 
numa noite de muita alegria e animação para todas as idades!
 Nem o Cura escapou...e "barrete" levou!
Bruxos? Era sexta-feira 13!
 Mais uma bruxinha atrás, com duas belezas à frente!
 
 Linda família!
 O desfile...
 Ena tanta cor!
 O Lino e a sua música de animação!
Ora, pois bem... sem a Joana e a Nita, não havia festa!
OBRIGADA aos que de alguma forma ajudaram na organização, 
e a todos os que participaram na festa.
Veja todas as fotos aqui http://1drv.ms/1zDClU1

DOMINGO VI DO TEMPO COMUM - Ano B

SALMO RESPONSORIAL Salmo 31 (32), 1-2.5.7.11 (R. 7)
Refrão: Sois o meu refúgio, Senhor;
dai-me a alegria da vossa salvação.

Feliz daquele a quem foi perdoada a culpa
e absolvido o pecado.
Feliz o homem a quem o Senhor 
 não acusa de iniquidade
e em cujo espírito não há engano.

Confessei-vos o meu pecado
e não escondi a minha culpa.
Disse: Vou confessar ao Senhor a minha falta
e logo me perdoastes a culpa do pecado.

Vós sois o meu refúgio, defendei-me dos perigos,
fazei que à minha volta só haja hinos de vitória.
Alegrai-vos, justos, e regozijai-vos no Senhor,
exultai, vós todos os que sois rectos de coração.

D. MANUEL CLEMENTE, CARDEAL

D. Manuel Clemente foi hoje criado cardeal pelo papa Francisco, em celebração que se realizou na basílica de S. Pedro, no Vaticano.
O 44.º cardeal português e o quarto a ser criado no século XXI agrega-se ao Colégio Cardinalício, onde vai encontrar os também prelados lusos D. José Saraiva Martins, anterior responsável pela Congregação para as  Causas dos Santos, e D. Manuel Monteiro, que foi penitenciário-mor da Santa Sé.
Por terem menos de 80 anos, D. Manuel Clemente e D. Manuel Monteiro poderão eleger um novo papa em caso de conclave
Na celebração, para a qual foi convidado o papa emérito Bento XVI, foi anunciada a presença do vice-primeiro-ministro de Portugal, Paulo Portas, do ministro dos Negócios Estrangeiros, Rui Machete, e do secretário de Estado da Cultura, Jorge Barreto Xavier.

sexta-feira, 13 de fevereiro de 2015

CATEQUESE "FORA" DE PORTAS...

A Liberdade radica na relação convite/resposta. Isto nos foi transmitido na última conferência do CCA deste ano de 2015. Implica, portanto, da nossa parte uma ação ou uma adesão.
O grupo do 10.º ano da catequese, nestes dias de sol, de uma luminosidade branca e serena, carregada de promessas, sentiu-se convidado a sair ao encontro dos tesouros que a cidade alberga e esconde nos seus mais recônditos lugares… mesmo ao pé de nós… mas, ao mesmo tempo, tão arredados do nosso conhecimento.
A arte e a cultura definem um povo, guardam a sua memória, falam da sua história e dos seus sonhos. A arte fala-nos e aproxima-nos de Deus. Convida-nos ao silêncio, à contemplação, à interiorização, à interrogação… Enquanto criaturas, acentua a nossa semelhança com o criador.
Em resposta a este convite fizemos desta tarde solarenga, de 07.02, uma tarde de cultura e de convívio e também de exercício… 
Sentir o morno do sol e a acalmia da tarde, usufruir do património que é de toda a humanidade e que temos o privilégio de ter tão perto, bem como sentir o pulsar da cidade. 
Apanhámos o transporte na Rua do Jardim, junto à Capela de S. Martinho, e rumámos até à Praça da Batalha.
Em grupo, divertidos, subimos a Rua de S. Catarina e fomos até ao Largo da Trindade e continuámos até à Praça da República e finalmente chegámos à Lapa… 
As portas do Templo da N.ª Sra. da Lapa estavam abertas e nos seus espaços exteriores pudemos descansar da nossa caminhada, tirar fotografias, fazer as “selfies”, preparar a entrada no templo.
No interior, na imponência das suas pedras, aprendemos a sua origem e a sua história, que nos fez reportar à história da cidade do Porto, ao convento de Avé Maria existente no lugar onde se ergue hoje a estação ferroviária de S. Bento.
A sua ligação ao Brasil e ao Rei D. Pedro IV (D. Pedro I do Brasil). Pudemos contemplar a Tela (de 11 m X 6,50) que se ergue no altar central e representa o Presépio.
Pudemos, ver a água do rio subterrâneo que corre por baixo da Igreja da Lapa e vem da Arca de Água em direção ao Douro. 
Apreciámos a arte da iluminação do templo que lhe adoça os ângulos de granito e lhe acentua a beleza à noite, criando uma envolvente adequada à oração. 
O órgão de tubos, o maior da Península Ibérica, que não pudemos ver de perto porque estava a ser afinado para o concerto que ia ter lugar naquela noite.
Efetivamente, tudo ganha um valor acrescentado, um interesse e um sentido, quando se conhece a sua história. 
E os nossos jovens escutaram com interesse as palavras de quem conhece bem a história daquele Templo grandioso. Estamos convictos que, de agora em diante, quando passarem junto à igreja de N.ª Sra da Lapa, irão contemplá-la com um outro olhar…
O grupo continuou o passeio rumo à renovada Igreja dos Clérigos! E por sermos um grupo de catequese, tivemos acesso gratuito às salas de exposição, à Igreja e à Torre. 
Valeu a pena subir a escadaria para atingir o ponto mais alto da torre, onde toda a cidade se estende, o pôr-do-sol tem mais encanto, o horizonte se adorna em silhuetas rendilhadas num fundo colorido e até o rio se encolhe! 
Uma simbiose entre a paisagem natural e a obra do homem, numa harmonia e beleza sintonizada, que nos eleva o pensamento e faz sentir a presença de Deus. Apetece ficar ali… mais e mais, montar a tenda só para nós… 
Tudo serve para captar (da máquina fotográfica ao iphone e ao globo ocular!) as melhores imagens possíveis dessa paisagem que nos deslumbra, registar o momento, fazer as selfies…. 
 
E aqui podemos apreciar a beleza extraordinária Igreja dos Clérigos, um edifício barroco projectado pelo arquitecto Nicolau Nasoni. 
Igreja do Clérigos agora restaurada e devolvida à cidade que pode contemplar esta obra de arte admirável!
A Irmandade dos Clérigos resultou da fusão de três instituições de beneficência: Confraria dos Clérigos Pobres de Nossa Senhora da Misericórdia, fundada em 1630; a Irmandade de S. Filipe de Nery, fundada em 1665; e por último, a Confraria dos Clérigos de S. Pedro.
Após a subida, um pequeno momento de descanso e reflexão na Igreja, e o grupo já ansiava pelo repasto, para repor energias. 
E foi a hora de comer, de conviver, de ser grupo sentado à mesa, com o barulho irreverente da juventude.
A próxima, e final, meta era o concerto de encerramento do 4.º CCA, no Auditório Municipal de Gaia.
A noite estava tão tranquila e a ponte de Luiz I ali tão perto… que desafiámos os jovens a percorrer o trajeto a pé, permitindo assim desfrutar de uma noite tranquila e apreciar a paisagem noturna que já tínhamos admirado do alto da torre; apreciar as luzes espelhadas sobre o rio, embalando-o no sono que os homens já perderam, vigiado pelo Mosteiro da Serra do Pilar, luminosamente bordado e colorido. 
Foi uma travessia calma e valeu a pena. Subindo a Avenida da República chegámos finalmente ao Auditório Municipal, para agora bem acomodados, apreciar mais uma forma de arte - A música! Que bela maneira de terminar a noite! 
Não sei o que ficou na memória e no coração de cada um dos jovens do grupo. Talvez nem mesmo eles saibam muito bem ainda…mas não resistimos a dizer que, porventura, mais tarde irão descobrir que armazenaram mais do que aquilo que imaginam hoje. 
Saímos ao encontro… e encontrámos! O 10.º ano começa a sentir-se um grupo. A Cultura não é indiferente à catequese! A catequese não está fora do mundo! Deus também não! 
Agradecimentos: Filipe Vieira, Rev. Cónego, Ferreira dos Santos, À Irmandade dos Clérigos, Rev. Pe. Zé Manel, e aos pais que nos confiam o seu maior tesouro, os filhos! E aos nossos jovens que "embarcaram" em mais esta aventura!
Os catequistas do 10.º
02.2015