domingo, 22 de julho de 2018

FAMÍLIA: Bispos portugueses prestam homenagem aos avós

A Comissão episcopal do Laicado e da Família quer hoje valorizar a presença e o testemunho dos avós no quadro familiar apresentando-os como “altar da sabedoria”.

Esquecer os avós é fazer tábua rasa da memória da nossa própria história familiar, das virtudes e defeitos que nos correm no sangue”, assinalam os bispos numa mensagem enviada à Agência ECCLESIA por ocasião do dia dos avós, que se celebra a 26 de julho, na memória litúrgica de São Joaquim e Santa Ana, pais da Maria.
(...)
“Não fossem os avôs e avós, e muitas das nossas crianças e adolescentes estariam entregues a si próprios no que respeita à catequese, à oração e à vida cristã”.


sábado, 21 de julho de 2018

A NOSSA ÚNICA REFERÊNCIA É JESUS

Passeio muitas vezes por aquele tempo puro,
Tempo cheio
E não apenas meio,
Cheio de luz, algumas vezes escuro,
Cheio de fontes, estradas, horizontes,
Casas sempre com recheio.

Sim, naquele tempo puro ainda o lume ardia
O amor doía,
O moinho moía,
O insonso não existia,
E parece que nem a indiferença,
A insensatez, a anestesia.

Sim, naquele tempo cheio,
E não apenas meio,
Nunca o vi vazio,
Havia lá um rio
Sempre ali por perto,
Que transformava o deserto em regadio.

Sim, naquele tempo belo,
Eu passeava pelo Evangelho,
E encontrava lá Jesus,
A contar um a um os lírios do campo,
Para ver se lhe faltava algum.

Senhor Jesus,
O tempo em que vamos hoje está cheio de vazio,
E há tantos que andam pela vida ao desvario,
Tristes, cansados, desanimados,
Como ovelhas sem pastor.
São estes meus irmãos que eu hoje te confio:
Trata as suas feridas,
Cura a sua dor,
E enche o seu coração de paz e de amor.

D. António Couto

FOLHA DOMINICAL: informações e reflexões importantes para toda a comunidade

sexta-feira, 20 de julho de 2018

SEXTA-FEIRA DA SEMANA XV DO TEMPO COMUM

EVANGELHO Mt 12, 1-8 
«O Filho do homem é Senhor do sábado» 
Rezar a Palavra
Senhor, as tuas leis e preceitos são para a minha salvação. Com a tua palavra pretendes elevar-me acima da pequenez da minha maneira de ver. Queres que eu me liberte da mesquinhez dos meus critérios sempre demasiado reduzidos que não deixam espaço para a vida, para o encontro, para a partilha, para a alegria, para o amor misericordioso. Dá-me a capacidade de ver mais além, até onde tu vez, para não ficar fechado nas leis e preceitos, mas chegar até ao coração do homem meu irmão a quem queres salvar.

COMO É ADMIRÁVEL SENHOR A VOSSA BONDADE

Como é admirável, Senhor, a vossa bondade!
À sombra das vossas asas se refugiam os homens.
À sombra das vossas asas se refugiam os homens.

A maldade fala ao ímpio no seu coração,
a seus olhos não existe o temor de Deus,
mas a si próprio se ilude.
para não descobrir nem odiar a sua iniquidade.

As palavras da sua boca são más e enganosas,
deixou de pensar com sensatez e de fazer o bem.
Em seu leito maquina a iniquidade,
anda pelo mau caminho e não se afasta do mal.

Senhor, até aos céus se eleva a vossa bondade
e até às nuvens a vossa fidelidade.
A vossa justiça é como os montes altíssimos,
os vossos juízos são como abismo profundo.

Como é admirável, ó Deus, a vossa bondade.
à sombra das vossas asas se refugiam os homens.
Podem saciar-se da abundância da vossa casa.
e vós os inebriais com a torrente das vossas delícias.

 Em Vós está a fonte da vida,
e é na vossa luz que vemos a luz.
Conservai a vossa bondade aos que Vos conhecem,
e a vossa justiça aos homens rectos de coração.

F. Santos

IGREJA/CULTURA: Um serão de poemas para homenagear um poeta

A comunidade da Capela do Rato juntou-se num serão de ‘Poesia e Oração’ para homenagear o poeta D. José Tolentino Mendonça com poemas da sua autoria, declamados por amigos.

“O mais belo poema são as próprias pessoas, estes amigos que com tanta generosidade quiseram acompanhar-me aqui nesta noite”, disse o futuro arquivista e bibliotecário da Santa Sé, no final da iniciativa.

Em declarações à Agência ECCLESIA e ao Secretariado Nacional da Pastoral da Cultura, D. José Tolentino Mendonça revelou-se “muito grato a eles e neles tanta amizade, tanta oração, tanta simpatia” com que as pessoas o “têm envolvido”.

“Não só nestes dias mas ao longo de toda a minha vida. De facto, sinto-me muito uma obra dos outros”, acrescentou o sacerdote que foi capelão da histórica Capela do Rato ao longo dos últimos nove anos.

E foi precisamente a obra poética de José Tolentino Mendonça que foi ouvida por uma assembleia que lotou a capela do Patriarcado de Lisboa numa noite de ‘poesia e oração’.

Alice Vieira, Carminho, Joana Carneiro, Ilda David, Luís Filipe Castro Mendes, Luís Miguel Cintra, Manuel Rosa, Nuno Júdice, Paula Moura Pinheiro foram alguns dos amigos do futuro arcebispo português que partilharam os seus poemas.
(...)
A 26 de junho, o Papa Francisco nomeou o capelão da Capela do Rato arquivista do Arquivo Secreto do Vaticano e bibliotecário da Biblioteca Apostólica, elevando-o à dignidade de arcebispo.

A ordenação episcopal de D. José Tolentino de Mendonça vai decorrer a 28 de julho, às 16h00, no Mosteiro dos Jerónimos, e o início das novas funções está marcado para 1 de setembro.

quinta-feira, 19 de julho de 2018

ARTE E INCLUSÃO: Pessoas com deficiência conceberam cenário e mobiliário litúrgico para celebração do Crisma

A diocese francesa de Lille confiou à sua Comissão de Arte Sacra a conceção e realização, com a participação de pessoas com deficiência física ou mental, dos elementos artísticos e litúrgicos da celebração do sacramento do Crisma (Confirmação).

Cerca de 80 pessoas estiveram implicadas no processo iniciado em agosto de 2017 e que teve o seu momento culminante a 20 de maio, no "Grand Palais" de Lille, na celebração em que 800 jovens e adultos receberam o sacramento.

As mais de oito mil pessoas presentes na liturgia foram envolvidas nas obras efémeras concluídas após um processo de pedagogia e de catequese pela imagem, de apropriação da matéria e da cor.

«As cores são refulgentes, exalam a alegria e esperança. O coro está vestido com seis faixas de dez metros de altura sobre o tema do Pentecostes. Simbolizado pelo vermelho, o azul e o ouro, as cores de uma chama, é o Espírito Santo que desce como "línguas de fogo" sobre os discípulos de Jesus», descreve a página "Narthex", da Igreja católica em França.

http://snpcultura.org/pessoas_com_deficiencia_conceberam_cenario_e_mobiliario_liturgico_para_crisma.html

terça-feira, 17 de julho de 2018

PEREGRINAÇÃO PAROQUIAL A FÁTIMA - 5 de Outubro

Destinada a todos os paroquianos, 
familiares e amigos. 
Estão abertas as inscrições nos centros de culto 
ou junto dos responsáveis do ano passado.
Inscreva-se e participe!

segunda-feira, 16 de julho de 2018

SÃO CAETANO

São Caetano de Thiene, conhecido como Santo divino da providência, nasceu em 1480 em Vicenza, Itália.
Doutorou-se em direito civil e eclesiástico em Pádua, Itália, vindo mais tarde a abraçar 
a vida eclesiástica recebendo a ordenação do Papa Júlio II aos 36 anos.
Foi viver para Roma, sendo chamado pelo Papa Júlio II, foi nomeado e aceitou o ofício de Protonotário.
Sempre identificado com as práticas Católicas da confraria denominada “Amor de Deus”, juntou-se a ela.
Após a morte do Papa que o nomeou, regressou à sua terra Natal, Vicenza.
Fundou a Confraria de S. Jerónimo e andava sempre em auxílio dos doentes, dos pobres e mendigos da região.
Distribuiu, a todos eles, avultados bens que herdara após a morte dos pais.
Com humildade e persistência que o caracterizavam Caetano abraçou a causa da Confraria, num acto de extrema coragem.
Em 1524, já em Roma, Caetano, junto com Carrafa, Consigliari e Bonifácio, fundam a Ordem de Clérigos Regulares Teatinos.
Foi um grande orador e guia espiritual dos pobres. 
Morreu no Convento de Nápoles, em 7 de Agosto de 1547.
Oito anos mais tarde, 1671, Caetano foi inserido no livro dos Santos.

MEU CANTO É PARA TI

Meu canto é para Ti, 
Senhor que me criaste.
Com todos os meus irmãos, 
Eu digo muito obrigado.

A terra e o firmamento,
Os campos e as cidades.
As flores e os sorrisos
São rumos do teu amor.

Meu canto fala de paz,
Num mundo feito de guerra.
Eu quero levar, Senhor,
Teu nome a toda a terra.

Servir até à cruz,
Erguendo o meu cantar.
O tempo chegou ao fim:
É Cristo que vem salvar.

sábado, 14 de julho de 2018

SACRAMENTO DA CONFIRMAÇÃO - CRISMA

Os jovens do 11º ano, juntamente com um simpático grupo de adultos da paróquia, terminaram a sua formação inicial cristã hoje na Sé do Porto. Foi o "nosso" bispo D. António Augusto que presidiu, congratulando de forma especial os crismandos de Vilar do Paraíso.😉
Esta cerimónia teve também a colaboração dos acólitos da nossa paróquia.
Obrigada a todos que colaboraram, mas principalmente aos pais, que sempre acompanharam e orientaram este percurso... 
Crismandos, continuamos a contar convosco... agora com mais responsabilidade!

FESTA EM HONRA DO BOM JESUS DO MONTE E SÃO CAETANO

Colabore nas festas e comece por fazer a sua oferta para a Tômbola Paroquial, cujo lucro reverterá a favor da paróquia.
As ofertas devem ser entregue no Centro Paroquial.
Desde já muito OBRIGADA pela colaboração e partilhem a informação. 💗

DOMINGO XV DO TEMPO COMUM - Ano B

SALMO RESPONSORIAL Salmo 84 (85), 9ab-10.11-12.13-14 (R. 8) 
Refrão: Mostrai-nos o vosso amor, dai-nos a vossa salvação;
dai-nos a vossa salvação; 
Ou: Mostrai-nos, Senhor, a vossa misericórdia.

Deus fala de paz ao seu povo e aos seus fiéis 
e a quantos de coração a Ele se convertem. 
A sua salvação está perto dos que O temem 
e a sua glória habitará na nossa terra.

Encontraram-se a misericórdia e a fidelidade, 
abraçaram-se a paz e a justiça. 
A fidelidade vai germinar da terra 
e a justiça descerá do Céu.

O Senhor dará ainda o que é bom, 
e a nossa terra produzirá os seus frutos. 
A justiça caminhará à sua frente 
e a paz seguirá os seus passos.

FOLHA DOMINICAL: informações e reflexões importantes para toda a comunidade


sexta-feira, 13 de julho de 2018

PEREGRINAÇÃO INTERNACIONAL ANIVERSÁRIA

O bispo auxiliar do Porto, D. António Augusto Azevedo, presidente da Peregrinação Internacional Aniversária de julho, na Cova da iria, desafiou os cristãos a não se resignarem  e a não cairem na indiferença num mundo “cheio de incertezas e algumas sombras”.

“Diante do rosto do mal no nosso tempo, tenha ele o nome de guerra ou terrorismo, violência ou exclusão, abandono ou solidão, injustiça ou corrupção, precisamos ter esperança”, afirmou o prelado do Porto durante a homilia proferida na Missa que encerra a peregrinação de julho concelebrada por 90 sacerdotes, quatro deles bispos e um cardeal.

“Num presente cheio de incertezas e de um futuro com alguma sombras, precisamos de ter esperança, de sonhar e de acreditar”, precisou sublinhando que “não podemos cair na resignação, na indiferença ou na banalização do mal nem remeter ao individualismo ou comodismo fáceis”.

“Não queiramos ser uma esperança abortada nem hipotequemos, como aconteceu tantas vezes no último século, as nossas esperanças em utopias ilusórias ou messianismos equivocados”, disse D. António Augusto Azevedo.

A 13 DE JULHO

Avé Maria 
gratia plena
Dominus tecum
Benedicta tu

O que eu tenho é teu:
os meus sonhos e desejos.
Mãe de Cristo, minha mãe
apresenta-os ao teu Senhor.

A NOSSA ORAÇÃO PELOS SACERDOTES

Neste dia rezamos de forma particular pelo Rev. Pe. José Manuel da Costa Lima, que celebra o 32º Aniversário de Ordenação Sacerdotal. Rev. Pe. José Paulo de Sousa Teixeira, que celebra o 21º Aniversário de Ordenação.
Lembramos ainda D. António Augusto de Oliveira Azevedo, que foi Ordenado Presbítero há 32 anos.
Que Deus os acompanhe e proteja para que possam continuar a missão que lhes foi confiada.
Senhor Jesus, Bom Pastor,

Tu quiseste chamar homens de coração generoso a estar contigo e a aprender contigo o que significa entregar a vida em amor e serviço. Deste-lhes a missão de anunciar a todos o amor do Pai, de ser guia e amparo das comunidades às quais são enviados.

Cada sacerdote é chamado a ser, nas suas alegrias e dificuldades, nos seus talentos e fragilidades, exemplo vivo da tua presença no mundo e na Igreja.

Eu Te peço por todos os sacerdotes, em especial os que vivem em maior solidão as dificuldades do seu ministério. Que o teu Espírito Santo seja o seu conforto.

Uno esta minha oração à de todos os cristãos que, nestes dias, rezam pela missão dos sacerdotes, como nos pede o Papa Francisco neste mês, na intenção que confia à sua Rede Mundial de Oração.

Senhor Jesus, Bom Pastor, ouve a minha oração pelos sacerdotes.

Pai-Nosso.

FÁTIMA: PEREGRINAÇÃO INTERNACIONAL ANIVERSÁRIA DE JULHO


“Uma peregrinação a Fátima é sempre um momento especial de encontro com Jesus Cristo”. Fátima é um grande sinal de Deus, um sinal do Céu para o mundo”.

D. António Augusto Azevedo