sexta-feira, 30 de junho de 2017

RECORDANDO A MISSÃO JOVEM

Na voragem do tempo, quase nem demos conta que está prestes a fazer um ano que estivemos na Missão Jovem 2016, uma experiência que recomendamos a todos os jovens e catequistas. 
Em devido tempo publicamos imagens e falamos sobre o que aconteceu, mas muito ficou por dizer... 
Quase a iniciar-se a Missão Jovem 2017, na Maia, nos Missionários Combonianos, pareceu-nos um bom motivo para recordar e, vamos fazê-lo da melhor maneira, na “postagem” seguinte, com imagens e um belíssimo texto que nos dá conta de tudo quanto vivenciamos naquele inesquecível fim de semana, em que tivemos a companhia do Rui Ferreira, que amanhã, 2 de julho, no Mosteiro dos Jerónimos terá a sua Ordenação Presbiteral.
Esta é, também, a nossa forma de estar com o Rui neste dia tão importante, desejando-lhe as maiores felicidades e todas as bênçãos de Deus, para a missão que a vai abraçar.

SÃO PEDRO, PADROEIRO - Paróquia em Festa até Domingo, 2 de Julho

 

quinta-feira, 29 de junho de 2017

S. PEDRO e S. PAULO, Apóstolos - SOLENIDADE

Nota Histórica

Desde o século III que a Igreja une na mesma solenidade os Apóstolos S. Pedro e S. Paulo, as duas grandes colunas da Igreja. Pedro, pescador da Galileia, irmão de André, foi escolhido por Jesus Cristo como chefe dos Doze Apóstolos, constituído por Ele como pedra fundamental da Sua Igreja e Cabeça do Corpo Místico. Foi o primeiro representante de Jesus sobre a terra. 
S. Paulo, nascido em Tarso, na Cilícia, duma família judaica, não pertenceu ao número daqueles que, desde o princípio, conviveram com Jesus. Perseguidor dos cristãos, converte-se, pelo ano 36, a caminho de Damasco, tornando-se, desde então, Apóstolo apaixonado de Cristo. Ao longo de 30 anos, anunciará o Senhor Jesus, fundando numerosas Igrejas e consolidando na fé, com as suas Cartas, as jovens cristandades. Foi o promotor da expansão missionária, abrindo a Igreja às dimensões do mundo. 
Figuras muito diferentes pelo temperamento e pela cultura, viveram, contudo, sempre irmanados pela mesma fé e pelo mesmo amor a Cristo. S. Pedro, na sua maravilhosa profissão de fé, exclamava: «Tu és o Cristo, o Filho de Deus vivo». E, no seu amor pelo Mestre, dizia: «Senhor, Tu sabes que eu Te amo». S. Paulo, por seu lado, afirmava: «Eu sei em quem creio», ao mesmo tempo que exprimia assim o seu amor: «A minha vida é Cristo»! 
Depois de ambos terem suportado toda a espécie de perseguições, foram martirizados em Roma, durante a perseguição de Nero. Regando, com o seu sangue, no mesmo terreno, «plantaram» a Igreja de Deus. 
Após 2000 anos, continuam a ser «nossos pais na fé». Honrando a sua memória, celebremos o mistério da Igreja fundada sobre os Apóstolos e peçamos, por sua intercessão, perfeita fidelidade ao ensinamento apostólico. 

http://www.liturgia.pt/santos/santo_v.php?cod_santo=99

FESTAS DO PADROEIRO SÃO PEDRO - 29 e 30 de junho, 1 e 2 de julho

MISSA DE SÃO PEDRO, quinta-feira, dia 29 de junho, às 21h30.

MISSA DA FESTA, 2 de julho às 11h00, igreja paroquial. 
PROCISSÃO SOLENE, 2 de julho, 17h00.

A comissão de festas pede flores e verdes para o tapete da festa e avisa que é necessária a inscrição das figuras alegóricas para procissão.

ENCERRAMENTO DA CATEQUESE: Jantar e Convívio dos Catequistas

No encerramento da catequese deste ano, com o habitual jantar convívio dos catequistas e alguns familiares, aconteceu uma excelente noite de alegria e convívio, com imagens que dispensam palavras.
 
Agradecimentos a todos os que participaram, e muito especialmente aos que organizaram e trabalharam para que esta fosse uma noite de partilha,  bonita, divertida e para guardar na memória no coração.

quarta-feira, 28 de junho de 2017

LECTIO DIVINA - Quarta-feira da Semana XII do Tempo Comum

Evangelho: Mt 7, 15-20
Naquele tempo, disse Jesus aos seus discípulos: «Acautelai-vos dos falsos profetas, que andam vestidos de ovelhas, mas por dentro são lobos ferozes. Pelos frutos os conhecereis. Poderão colher-se uvas dos espinheiros ou figos dos cardos? Assim, toda a árvore boa dá bons frutos e toda a árvore má dá maus frutos. Uma árvore boa não pode dar maus frutos, nem uma árvore má dar bons frutos. Toda a árvore que não dá bom fruto é cortada e lançada ao fogo. Portanto, pelos frutos os conhecereis».

Rezar a Palavra
Quero estar atento, Senhor, para me acautelar dos falsos profetas. Mas quero acautelar-me mais ainda de mim mesmo, para não me tornar um falso profeta que, levado pela facilidade, me transforme em mensageiro da mentira. A verdade custa tanto a ouvir e as palavras vãs dos falsos profetas são como melodia aos nossos ouvidos. O sucesso da mentira é demasiado evidente e adquire tão facilmente adeptos que me pode seduzir ao ponto de trocar a verdade pela mentira transformando-me num falso profeta. Cuida do meu coração e não deixes que me transforme numa árvore de enganos para os meus irmãos.

http://aliturgia.com/quarta-feira-da-semana-xii-do-tempo-comum-2/

terça-feira, 27 de junho de 2017

NEGRO... Cor de Esperança

A tragédia que aconteceu no concelho de Pedrógão Grande convocou todos os portugueses para ajudar no recomeço de muitas vidas, de aldeias inteiras... No coração de cada pessoa e por montes e vales, o negro é cor de esperança. Paradoxalmente! É esse o "gancho" para uma grande reportagem do Henrique Matos e do Tiago Azevedo Mendes emitida no programa 70x7 deste domingo, que vale muito a pena rever!

Paulo Rocha

REZAMOS PELO PAPA FRANCISCO - 25 ANOS DE ORDENAÇÃO EPISCOPAL


O Papa Francisco presidiu hoje a uma Missa na Capela Paulina, do Vaticano, com vários membros do Colégio Cardinalício, para assinalar os seus 25 anos de ordenação episcopal.

"Somos avôs chamados a sonhar e dar o nosso sonho à juventude de hoje, que precisa deles". 

"O Senhor diz-nos que a nossa história está em aberto, até ao fim e aberta com uma missão".

Após a sua visita a Fátima, o Papa Francisco recordou que foi informado da sua nomeação como bispo a 13 de maio de 1992.

“Não tinha pensado na coincidência, apenas enquanto rezava diante de Nossa Senhora, me lembrei de que a 13 de maio recebi esse telefonema do núncio, há 25 anos”, referiu, em conferência de imprensa, durante o voo que partiu de Monte Real, Concelho de Leiria.

“Falei um pouco com Nossa Senhora sobre isto, pedi desculpa pelos meus erros, também algum mau gosto para escolher pessoas. Mas lembrei-me disso [nomeação episcopal]”, confessou.

http://www.agencia.ecclesia.pt/noticias/vaticano/vaticano-papa-assinala-25-anos-da-ordenacao-episcopal/

CATEQUESE: EUCARISTIA DE ENCERRAMENTO

No dia 17 de junho, reunidos em celebração eucarística no parque de S. Caetano, finalizamos este ano de catequese. Presença de muitas crianças, jovens, pais, catequistas e o coro infanto-juvenil animaram a celebração.
Deixamos imagens ilustradas com algumas palavras que ali foram dirigidas a todos, e nos recordam passos importantes vividos na catequese, e que é importante não esquecer...  
"Passou rápido mas, esperamos ter conseguido colocar em cada um de vós a semente da fé em Jesus Cristo, um pouco sobre tudo aquilo que sabemos sobre Cristo e sua mãe, Maria Santíssima, e esperamos que guardem sempre estes ensinamentos no coração.
Lembrem-se sempre que o maior tesouro para tudo é o amor a Jesus e ao próximo. Quando estiverem tristes lembrem-se d’Ele e quando estiverem felizes também, e sigam sempre o vosso caminho de verdade, de amor e de fé.
Apesar de alguns de vocês serem pequenos, também aprendemos muito convosco. Sentiremos saudades e apesar da falta o encontro semanal na catequese, esperamos encontra-vos muitas vezes na Eucaristia, aos domingos, pois Jesus está lá sempre à espera de cada um de nós.
Tenham BOAS FÉRIAS! E, onde quer que se encontrem, nunca se esqueçam que somos o Templo vivo de Cristo!

segunda-feira, 26 de junho de 2017

Segunda-feira da Semana XII do Tempo Comum

LECTIO DIVINA
Evangelho: Mt 7, 1-5
Naquele tempo, disse Jesus aos seus discípulos: «Não julgueis e não sereis julgados. Segundo o julgamento que fizerdes sereis julgados, segundo a medida com que medirdes vos será medido. Porque olhas o argueiro que o teu irmão tem na vista e não reparas na trave que está na tua? Como poderás dizer a teu irmão: ‘Deixa-me tirar o argueiro que tens na vista’, enquanto a trave está na tua? Hipócrita, tira primeiro a trave da tua vista e então verás bem para tirar o argueiro da vista do teu irmão».
Rezar a Palavra
Senhor, quero aprender a aceitar o outro como meu irmão. Quero olhá-lo com os olhos do coração pelo filtro do amor, para que o meu julgamento não seja condenação mas correcção fraterna. Quero deixar-me ver pelo meu irmão para que também ele me corrija com as palavras inspiradas do amor, que quer salvar o que em mim está perdido e não condenar-me à infâmia e à perdição. Quero aceitar-me com a minha cegueira para ter a coragem de tirar a trave que tenho nos olhos. Dá-me a coragem de ver para além do argueiro e para além da trave que nos cega.

http://aliturgia.com/segunda-feira-da-semana-xii-do-tempo-comum-3/

CATEQUESE: CELEBRAÇÃO DAS BEM-AVENTURANÇAS

Ele caminha connosco! Como outrora, aos discípulos de Emaús, Jesus vem ao encontro das nossas exigências, para dar vida à nossa vida. Com a sua Palavra, ilumina e aquece os nossos corações. Com a sua presença de amor no dom da eucaristia fortalece os nossos passos e enriquece a nossa vida. Com esta certeza nos nossos corações, estamos aqui reunidos para celebrar o Projeto de vida que o Senhor nos oferece e que fomos descobrindo ao longo deste ano. 
Ser bem-Aventurado em Jesus e com Jesus, é ser feliz. Recebamos com muito amor este grupo do 7 ano, onde cada um se compromete a ser feliz amando o próximo como Jesus ensinou.
 
Bem-Aventurados os pobres de espírito (…). Os bens, desde que sejam adquiridos com justiça, devem ser possuídos e administrados em justiça. A ganância é contrária à pobreza de espírito. 
Bem-Aventurados os que choram (…). Devemos experimentar a misericórdia divina no nosso coração. Deixemos que Deus enxugue as nossas lágrimas e recebamos a sua consolação. Acreditemos que por maiores que sejam os nossos sofrimentos e dores, a Misericórdia divina estará connosco. Vejamos no outro, o nosso irmão que também sofre.
Bem-Aventurados os mansos (…). Conhecemos que a mansidão, a paciência e a humildade são caminhos para a glória eterna. Estas virtudes só nos podem fazer felizes, na escola, no trabalho, no transporte, nos hospitais…
Bem-Aventurados os que têm fome e sede de justiça (…). A nossa fome e sede do espírito são de amor a Deus, que é justiça e de amor ao próximo. Só a fé sacia e nos dá a força para amar o próximo com justiça.
Bem-Aventurados os misericordiosos (…). A misericórdia é a força do nosso coração. Como a anunciamos aos irmãos? Como nos damos? 
Bem-Aventurados os puros de coração (…). O nosso coração deve crescer em sinceridade e retidão para com os outros? Cultivemos um coração simples? Deixemos vivificar em nós, a experiência de que somos templos do Espírito Santo.
Bem-Aventurados os pacíficos (…). Os nossos valores éticos constituem uma afirmação evangélica contra as normas de uma sociedade desprovida do Deus de Amor. A Paz esteja convosco: disse-nos Jesus. Assim, ela é um dom de Deus. Somos construtores da paz. 
Bem-Aventurados os que sofrem perseguição (…). As perseguições, as mentiras, os ataques, as injúrias de que sofreram os discípulos de Jesus também hoje acontece neste mundo que vivemos em muitas situações da nossa vida, até na própria família
«Alegrai-vos e exultai, porque é grande nos Céus a vossa recompensa».
 
"Somos um, somos um… Eu e tu, somos… Somos um, somos um… Eu e tu, somos um!"

FOLHA DOMINICAL - informações e reflexões importantes para toda a comunidade

domingo, 25 de junho de 2017

DOMINGO XII DO TEMPO COMUM - Ano A

SALMO RESPONSORIAL Salmo 68 (69), 8-10.14.17. 33-35 (R. 14c) 
Refrão: Pela vossa grande misericórdia, atendei-me, Senhor. 

Por Vós tenho suportado afrontas, 
cobrindo-se meu rosto de confusão. 
Tornei-me um estranho para os meus irmãos, 
um desconhecido para a minha família. 
Devorou-me o zelo pela vossa casa 
e recaíram sobre mim os insultos contra Vós.  

A Vós, Senhor, elevo a minha súplica, 
no momento propício, meu Deus. 
Pela vossa grande bondade, respondei-me, 
em prova da vossa salvação. 
Tirai-me do lamaçal, para que não me afunde, 
livrai-me dos que me odeiam e do abismo das águas. 

Vós, humildes, olhai e alegrai-vos, 
buscai o Senhor e o vosso coração se reanimará. 
O Senhor ouve os pobres 
e não despreza os cativos. 
Louvem-n’O o céu e a terra, 
os mares e quanto neles se move. 

PEREGRINAÇÃO MONTE DA VIRGEM- 25 de Junho, 16h00


sábado, 24 de junho de 2017

MESA DAS PALAVRAS - D. António Couto

Com palavras que são bálsamo, 
nos os dias de desesperança que vivemos.
NÃO TENHAIS MEDO

Sabes, meu irmão, que em Anatôt,
Há uma amendoeira em flor carregada de esperança.
Sim, em Anatôt, de Anatôt, a amendoeira levanta-se
E planta-se no teu coração róseo-branco de criança.
Sim, em Anatôt, Foz Coa, Kilimanjaro, Lamego,
Aí mesmo no chão do teu coração,
Tanto faz, minha irmã, meu irmão.

Sai dessa reclusão
E vem expor-te
A este vendaval manso de graça e de perdão.
A amendoeira em flor é uma toalha branca estendida pelo chão.

Não pela minha mão,
Incapaz de tecer um tal manto de brancura,
Mas pela mão de Deus,
Que também faz brotar o vinho e o pão
E a ternura
No nosso coração.

SÁBADO da semana XI - NASCIMENTO DE S. JOÃO BAPTISTA – SOLENIDADE


SALMO RESPONSORIAL Salmo 70 (71), 1-2.3-4a.5-6ab.15ab e 17 (R. cf. 6b) 

Refrão: Desde o meu nascimento, sois a minha esperança. 

Em Vós, Senhor, me refugio, 
jamais serei confundido. 
Pela vossa justiça, defendei-me e salvai-me, 
prestai ouvidos e libertai-me. 

Sede para mim um refúgio seguro, 
a fortaleza da minha salvação. 
Vós sois a minha defesa e o meu refúgio, 
meu Deus, salvai-me do pecador. 

Sois Vós, Senhor, a minha esperança, 
a minha confiança desde a juventude. 
Desde o nascimento Vós me sustentais, 
desde o seio materno sois o meu protector. 

A minha boca proclamará a vossa justiça, 
dia após dia a vossa infinita salvação. 
Desde a juventude Vós me ensinais 
e até hoje anunciei sempre os vossos prodígios. 

PORTO: O LADO RELIGIOSO DAS FESTAS DE SÃO JOÃO FICOU «À MARGEM»


O cónego Rui Osório considera que nas festas de São João, no Porto, celebradas na noite de 23 para 24 deste mês, o lado religioso “ficou à margem”

A folia é reinante e abafou o lado religioso “a não ser quando se arma uma cascata” e se “coloca o São João naquela cascata”, disse à Agência ECCLESIA o pároco da Foz do Douro que tem como padroeiro São João Baptista.

A simbologia típica de São João é colocada naquela Igreja visto que na decoração da Igreja o cónego Rui Osório faz questão de “ter sempre os vasos de manjerico”, sublinhou.

Na Igreja da Foz do Douro está também armada “uma belíssima cascata popular”, pormenores para darem um sentido sanjoanino à festa, realçou.

“É uma pena que, ao longo dos séculos, a igreja, da parte dos teólogos, não tenha sabido compreender e viver esta simbologia das festas sacro-profanas”, como é o caso das festas de Santo António, São João e São Pedro.

Como expressões de “grande riqueza antropológica e social”, as festas dos santos populares “ultrapassam as barreiras económicas e as diferenças culturais”, afirmou o cónego Rui Osório.

sexta-feira, 23 de junho de 2017

IGREJA PROMOVE PEDITÓRIO PARA AJUDAR AS VÍTIMAS DOS INCÊNDIOS

Conferência Episcopal Portuguesa (CEP) anunciou que as dioceses católicas vão promover um peditório nacional, a 2 de julho, para ajudar as vítimas dos incêndios que atingiram o país nos últimos dias.

“Pedimos a todas as comunidades cristãs, e a quem deseje associar-se, que além de outras iniciativas solidárias dediquem a oração, o sufrágio e o ofertório do primeiro domingo de julho a esta finalidade”, refere uma nota divulgada ao início da tarde pelo porta-voz do episcopado, padre Manuel Barbosa.

O montante recolhido vai ser enviado para a Cáritas Portuguesa, “a fim de ser encaminhado, com brevidade, para aqueles que necessitam”.

quinta-feira, 22 de junho de 2017

SEXTA-FEIRA da semana XI - SAGRADO CORAÇÃO DE JESUS - SOLENIDADE

SALMO RESPONSORIALSalmo 102 (103), 1-2.3-4.6-7.8 e 10 (R. 17) 
Refrão: A bondade do Senhor permanece eternamente 
sobre aqueles que O amam.

Bendiz, ó minha alma, o Senhor 
e todo o meu ser bendiga o seu nome santo. 
Bendiz, ó minha alma, o Senhor 
e não esqueças nenhum dos seus benefícios.

Ele perdoa todos os teus pecados 
e cura as tuas enfermidades. 
Salva da morte a tua vida 
e coroa-te de graça e misericórdia.

O Senhor faz justiça 
e defende o direito de todos os oprimidos. 
Revelou a Moisés os seus caminhos 
e aos filhos de Israel os seus prodígios.

O Senhor é clemente e compassivo, 
paciente e cheio de bondade. 
Não nos tratou segundo os nossos pecados 
nem nos castigou segundo as nossas culpas.