terça-feira, 31 de dezembro de 2019

FELIZ ANO NOVO!

Sementes de Esperança deseja aos leitores deste cantinho um Feliz Ano de 2020. 
Que o Novo Ano abra os corações ao amor, à paz, à fraternidade, à esperança e acolhimento aos outros, e que todos sejam agraciados com as maiores bênçãos do Menino Deus.

SANTA MARIA, MÃE DE DEUS - SOLENIDADE

SALMO RESPONSORIAL Salmo 66 (67), 2-3.5.6 e 8 (R. 2a)
Refrão: Deus tenha compaixão de nós;
Ele nos dê a sua bênção. 
Deus tenha compaixão de nós.

Deus Se compadeça de nós e nos dê a sua bênção,
resplandeça sobre nós a luz do seu rosto.
Na terra se conhecerão os seus caminhos
e entre os povos a sua salvação. 

Alegrem-se e exultem as nações,
porque julgais os povos com justiça
e governais as nações sobre a terra. 

Os povos Vos louvem, ó Deus,
todos os povos Vos louvem.
Deus nos dê a sua bênção
e chegue o seu temor aos confins da terra. 

segunda-feira, 30 de dezembro de 2019

SANTA MARIA, MÃE DE DEUS - SOLENIDADE - DIA MUNDIAL DA PAZ

Celebrações na nossa Paróquia

MISSA DA VIGÍLIA
31 de dezembro
17h00 - Capela de S. Martinho

ANO NOVO - 1 de janeiro
10h00 - Igreja Paroquial
10h00 - Capela de S. Caetano
11h30 - Capela de S. Martinho

FESTA DA SAGRADA FAMÍLIA

A liturgia deste Domingo coloca-nos diante da Sagrada Família de Jesus, Maria e José, e pede que, a partir desta família, olhemos para a nossa e vejamos como ela está. Quais são os valores que temos e quais são as coisas às quais não damos o devido valor? Como anda o nosso relacionamento familiar? Existe amor, respeito, compreensão? Existe temor de Deus, configurado na prática religiosa, na participação nas missas, na oração em família, na ajuda mútua? O que precisamos melhorar na nossa família?

Para responder a estas e outras perguntas, temos as leituras de hoje, que nos apresentam riquíssimos ensinamentos.

A 1ª leitura é tirada do livro do Eclesiástico. Faz parte dos livros sapienciais da Bíblia. Ali se encontram reunidos uma grande parte dos conhecimentos do povo daquela época, as experiências vividas, comprovadas, tidas como certas porque foram testadas no dia a dia. Não são apenas teorias. É conhecimento empírico. Por isso, elas têm muito a nos ensinar ainda hoje. O primeiro ensinamento que encontramos é que Deus honra os pais nos filhos. Os filhos são tidos como um dom de Deus e por isso, devem ser tratados com todo o carinho e cuidado. Se os pais devem cuidar bem dos filhos, seus maiores tesouros, o mesmo devem fazer os filhos. É preciso honrar os pais, isto é, respeitá-los. Esse é um dos mandamentos de Deus. Honrar pai e mãe. Honra-los é algo tão nobre, tão importante que quem o faz recebe o perdão de Deus. É um dever, uma obrigação de todos os filhos, porém devemos fazer isto não apenas porque é um dever, mas porque há amor em nosso coração. O amor é a medida de todas as coisas, e dentro da família isto não é diferente. Pelo contrário, é fundamental. Quando os membros da família perdem o respeito de uns para com os outros, a sociedade perde o respeito. Quem não consegue respeitar, honrar o sangue do seu próprio sangue, dificilmente conseguirá amar e respeitar os que não são da sua família. Quem ama cuida, diz o provérbio popular. Que se repete na expressão “ampara o teu pai na velhice e não lhe causes desgosto durante a sua vida”...

O Evangelho em pleno ciclo do Natal, coloca-nos diante de uma família cheia de dificuldades, de desafios e obstáculos a serem enfrentados, superados. Só o amor a Deus e o amor entre eles pode fazer com que enfrentem com valentia e coragem as dificuldades da vida. Depois de ter tido um parto numa estrebaria porque não havia lugar para eles nas hospedarias, o casal vê-se diante de diversas perseguições ao recém-nascido. Herodes ameaça de morte o Menino. José e Maria precisam fugir para o Egito. O Menino acaba de nascer e já é um exilado. Isto lembra-nos as muitas famílias de hoje que são perseguidas pela violência, pelas drogas e por tantas outras causas que as levam a ser expulsas de suas casas, de suas terras, e precisam viver escondidas para poder sobreviver. Estas famílias dão-nos hoje um exemplo importante. Não importa o que a nossa família esteja a passar, o que importa é a quantidade de amor que existe dentro dela. Se existe amor a Deus e ao próximo dentro dos nossos lares, então todas as dificuldades e obstáculos serão vencidos. É o que nos ensina hoje a liturgia da Sagrada Família de Jesus, Maria e José.

Pe. Carlos Correia

INFÂNCIA MISSIONÁRIA

À semelhança da Sagrada Família, deixemos Deus entrar na nossa casa e, com amor, rezemos todos com a nossa família.

domingo, 29 de dezembro de 2019

DOMINGO DA SAGRADA FAMÍLIA

"Confiemos hoje à Sagrada Família 
todas as famílias do mundo, 
especialmente aquelas 
provadas por sofrimentos 
ou por dificuldades, 
e invoquemos sobre elas
 a proteção divina." 

Papa Francisco 

MENSAGEM DO PAPA FRANCISCO PARA A CELEBRAÇÃO DO DIA MUNDIAL DA PAZ, 1º DE JANEIRO DE 2020

«A PAZ COMO CAMINHO DE ESPERANÇA:
DIÁLOGO, RECONCILIAÇÃO E CONVERSÃO ECOLÓGICA»

(...)
Abrir e traçar um caminho de paz é um desafio muito complexo, pois os interesses em jogo, nas relações entre pessoas, comunidades e nações, são múltiplos e contraditórios. É preciso, antes de mais nada, fazer apelo à consciência moral e à vontade pessoal e política. Com efeito, a paz alcança-se no mais fundo do coração humano, e a vontade política deve ser incessantemente revigorada para abrir novos processos que reconciliem e unam pessoas e comunidades.

O mundo não precisa de palavras vazias, mas de testemunhas convictas, artesãos da paz abertos ao diálogo sem exclusões nem manipulações. De facto, só se pode chegar verdadeiramente à paz quando houver um convicto diálogo de homens e mulheres que buscam a verdade mais além das ideologias e das diferentes opiniões. A paz é uma construção que «deve estar constantemente a ser edificada»[5], um caminho que percorremos juntos procurando sempre o bem comum e comprometendo-nos a manter a palavra dada e a respeitar o direito. Na escuta mútua, podem crescer também o conhecimento e a estima do outro, até ao ponto de reconhecer no inimigo o rosto dum irmão.
(...)
A graça de Deus Pai oferece-se como amor sem condições. Recebido o seu perdão, em Cristo, podemos colocar-nos a caminho para ir oferecê-lo aos homens e mulheres do nosso tempo. Dia após dia, o Espírito Santo sugere-nos atitudes e palavras para nos tornarmos artesãos de justiça e de paz.

Que o Deus da paz nos abençoe e venha em nossa ajuda.

Que Maria, Mãe do Príncipe da paz e Mãe de todos os povos da terra, nos acompanhe e apoie, passo a passo, no caminho da reconciliação.

E que toda a pessoa que vem a este mundo possa conhecer uma existência de paz e desenvolver plenamente a promessa de amor e vida que traz em si.

sábado, 28 de dezembro de 2019

CELEBRAÇÃO DA EUCARISTIA

Neste fim-de-semana os horários das Eucaristias em todos os centros de culto são os habituais.
Sábado, 28 de Dezembro
19h00 - Capela de S. Martinho

Domingo, 29 de Dezembro
08h00 - Capela de S. Martinho
09h30 - Igreja Paroquial
09h30 - Capela de S. Caetano
11h00 - Capela de S. Martinho

FOLHA DOMINICAL: informação e reflexões importantes para toda a comunidade

SAGRADA FAMÍLIA DE JESUS, MARIA E JOSÉ – FESTA

SALMO RESPONSORIAL Salmo 127 (128), 1-2.3.4-5 (R. cf. 1)
Refrão: Ditosos os que temem o Senhor,
ditosos os que seguem os seus caminhos.

Feliz de ti, que temes o Senhor
e andas nos seus caminhos.
Comerás do trabalho das tuas mãos,
serás feliz e tudo te correrá bem.

Tua esposa será como videira fecunda,
no íntimo do teu lar;
teus filhos serão como ramos de oliveira,
ao redor da tua mesa.

Assim será abençoado o homem que teme o Senhor.
De Sião te abençoe o Senhor:
vejas a prosperidade de Jerusalém,
todos os dias da tua vida.

AINDA EM TEMPO DE NATAL

E com os votos de Boas Festas do nosso Pároco, 
rezemos no Domingo da Sagrada Família:

Sagrada Família de Nazaré:
Queremos nascer de novo,
e, de novo, queremos que a família
seja o primeiro lugar
do nosso nascimento,
do nosso renascimento,
do nosso crescimento.
Seja a nossa família, como a Vossa,
casa de acolhimento e reconhecimento,
na prática generosa da partilha
da Palavra, do Pão e do Perdão,
das dores e fraquezas,
das alegrias e esperanças.

Acendemos esta vela (do Batismo)
e, com ela, todas as luzes do Presépio,
para Vos pedirmos, hoje e sempre,
a graça da santidade de ao pé da porta.

Fazei de cada família
verdadeira Igreja doméstica,
onde brilhe a santidade dos pequenos gestos,
no avô e na avó, que ensinam com paciência,
no pai e na mãe, que criam os filhos com amor,
nas crianças e jovens, o agora de um mundo novo,
nos homens e mulheres que trabalham
a fim de trazer o pão para casa,
nos que cuidam dos frágeis e doentes
e em todos aqueles que vivem perto de nós
e são um reflexo da presença de Deus.
Ámen.

sexta-feira, 27 de dezembro de 2019

O PRESÉPIO

"O #presépio recorda-nos a importância de parar e contemplar. Porque só quando sabemos nos recolher podemos acolher o que é importante na vida. Só quando deixamos fora de casa o barulho do mundo é que nos abrimos à escuta de Deus, que fala no silêncio."

Papa Francisco 

CELEBRANDO O NATAL NA NOSSA PARÓQUIA

 Capela do Bom Jesus do Monte 
e São Caetano.
«O Verbo fez-Se carne e habitou entre nós»
 Jo 1, 1-18
«Na verdade, foi da sua plenitude 
que todos nós recebemos graça sobre graça.»
 "Batizados: Nascidos de novo!"
 "Senhor Jesus,
Tu és a Luz que vem a este mundo,
e a todos nos ilumina. 
Nasce de novo, em nós,
neste Natal de 2019."
"Eis que é chegado o santo,
o Salvador do mundo!"
Mantêm-se a tradição 
e todos beijam o Menino!
 "Porque Ele é Luz, Verdade,
Justiça, Bem, Perdão,
Paz, Esperança, Amor e Redenção"
 E para sempre os céus e a terra 
 hão-de cantar com alegria
"que nasceu o Deus Menino
filho da Virgem Maria!"
Continuação de 
Santas Festas de Natal e Ano Novo.

MENSAGEM URBI ET ORBI DO PAPA FRANCISCO

 NATAL 2019

Balcão central da Basílica Vaticana
Quarta-feira, 25 de dezembro de 2019

«O povo que andava nas trevas viu uma grande luz» (Is 9,1).

Queridos irmãos e irmãs, feliz Natal!

Nesta noite, do ventre da mãe Igreja, nasceu de novo o Filho de Deus feito homem. O seu nome é Jesus, que significa Deus salva. O Pai, Amor eterno e infinito, enviou-O ao mundo, não para condenar o mundo, mas para o salvar (cf. Jo 3, 17). O Pai no-Lo deu, com imensa misericórdia; deu-O para todos; deu-O para sempre. E Ele nasceu como uma chamazinha acesa na escuridão e no frio da noite.

Aquele Menino, nascido da Virgem Maria, é a Palavra de Deus que Se fez carne; a Palavra que guiou o coração e os passos de Abraão rumo à terra prometida, e continua a atrair aqueles que confiam nas promessas de Deus; a Palavra que guiou os judeus no caminho desde a escravidão à liberdade, e continua a chamar os escravos de todos os tempos, incluindo os de hoje, para sairem das suas prisões. É Palavra mais luminosa do que o sol, encarnada num pequenino filho de homem, Jesus, luz do mundo.

Por isso, o profeta exclama: «O povo que andava nas trevas viu uma grande luz» (Is 9,1). É verdade que há trevas nos corações humanos, mas é maior a luz de Cristo; há trevas nas relações pessoais, familiares, sociais, mas é maior a luz de Cristo; há trevas nos conflitos económicos, geopolíticos e ecológicos, mas é maior a luz de Cristo.

Que Jesus Cristo seja luz para tantas crianças que padecem a guerra e os conflitos no Médio Oriente e em vários países do mundo; seja conforto para o amado povo sírio, ainda sem o fim à vista das hostilidades que dilaceraram o país nesta década; sacuda as consciências dos homens de boa vontade; inspire hoje os governantes e a comunidade internacional, para encontrar soluções que garantam a segurança e a convivência pacífica dos povos da Região e ponham termo aos seus sofrimentos indescritíveis; seja sustentáculo para o povo libanês, para poder sair da crise atual e redescobrir a sua vocação de ser mensagem de liberdade e coexistência harmoniosa para todos.

Que o Senhor Jesus seja luz para a Terra Santa, onde Ele nasceu, Salvador do homem, e onde continua a expectativa de tantos que, apesar de cansados mas sem se perder de ânimo, aguardam dias de paz, segurança e prosperidade; seja consolação para o Iraque, atravessado por tensões sociais, e para o Iémen, provado por uma grave crise humanitária.

Que o Menino pequerrucho de Belém seja esperança para todo o continente americano, onde várias nações estão a atravessar um período de convulsões sociais e políticas; revigore o querido povo venezuelano, longamente provado por tensões políticas e sociais, e não lhe deixe faltar a ajuda de que precisa; abençoe os esforços de quantos se empenham em favorecer a justiça e a reconciliação e trabalham para superar as várias crises e as inúmeras formas de pobreza que ofendem a dignidade de cada pessoa.

Que o Redentor do mundo seja luz para a querida Ucrânia, que aspira por soluções concretas para uma paz duradoura.

Que o Senhor recém-nascido seja luz para os povos da África, onde perduram situações sociais e políticas que, frequentemente, obrigam as pessoas a emigrar, privando-as duma casa e duma família; haja paz para a população que vive nas regiões orientais da República Democrática do Congo, martirizada por conflitos persistentes; seja conforto para quantos padecem por causa das violências, calamidades naturais ou emergências sanitárias; dê consolação a todos os perseguidos por causa da sua fé religiosa, especialmente os missionários e os fiéis sequestrados, e para quantos são vítimas de ataques de grupos extremistas, sobretudo no Burkina Faso, Mali, Níger e Nigéria.

Que o Filho de Deus, descido do Céu à terra, seja defesa e amparo para todos aqueles que, por causa destas e outras injustiças, devem emigrar na esperança duma vida segura. É a injustiça que os obriga a atravessar desertos e mares, transformados em cemitérios; é a injustiça que os obriga a suportar abusos indescritíveis, escravidões de todo o género e torturas em campos de detenção desumanos; é a injustiça que os repele de lugares onde poderiam ter a esperança duma vida digna e lhes faz encontrar muros de indiferença.

Que o Emmanuel seja luz para toda a humanidade ferida. Enterneça o nosso coração frequentemente endurecido e egoísta e nos torne instrumentos do seu amor. Através dos nossos pobres rostos, dê o seu sorriso às crianças de todo o mundo: às crianças abandonadas e a quantas sofreram violências. Através das nossas frágeis mãos, vista os pobres que não têm nada para se cobrir, dê o pão aos famintos, cuide dos enfermos. Pela nossa frágil companhia, esteja próximo das pessoas idosas e de quantas vivem sozinhas, dos migrantes e dos marginalizados. Neste dia de festa, dê a todos a sua ternura e ilumine as trevas deste mundo.

Queridos irmãos e irmãs!

Renovo os meus votos dum Natal feliz para todos vós que, vindos dos quatro cantos da Terra, vos encontrais nesta Praça [de São Pedro] e para quantos nos acompanham pela rádio, televisão e restantes meios de comunicação. Obrigado pela vossa presença, neste dia de alegria.

Todos somos chamados a dar esperança ao mundo anunciando, por palavras e sobretudo com o testemunho da nossa vida, que nasceu Jesus, nossa paz.

Por favor, não vos esqueçais de rezar por mim. Bom almoço de Natal! Até à vista.

http://w2.vatican.va/content/francesco/pt/messages/urbi/documents/papa-francesco_20191225_urbi-et-orbi-natale.html

quinta-feira, 26 de dezembro de 2019

EUCARISTIA COM A CATEQUESE

Em Domingo da Alegria, no dia 14 de Dezembro, na Capela de São Martinho, aconteceu encontro e festa da Eucaristia com toda a catequese!
Esta celebração, em que ainda esperávamos a vinda do Salvador, foi preparada e dinamizada pelo 8ºano de catequese.
No arco da Capela a mesa preparada com os dons que seriam levados no ofertório, também com o cabaz solidário que iria levar consolação e conforto à mesa de Natal de alguém que precisava. 
Capela completamente cheia de crianças, catequistas e familiares fazendo deste encontro com Jesus uma boa preparação para o Natal.  
Era a "3.ª Semana do Advento -Batizados: filhos de um Deus maior!" e "Acendemos esta vela (do Batismo) como família que espera ansiosamente e com as melhores disposições a chegada de um novo rebento. O mais pequenino, que vem até nós, será sempre o maior no meio de nós!"
E, da Mesa Palavra, escutamos: «Fortalecei os vossos corações, porque a vinda do Senhor está próxima.»
Das várias preces da Oração Universal destacamos: "Para que nesta Paróquia e nos seus vários grupos, cada um de nós, à maneira de Jesus, sirva os mais pobres e vá em socorro dos maltratados e dos que sofrem, oremos." 
Símbolo maior do Natal o Presépio, não faltou nesta Eucaristia. "Com Maria, que deitou o seu Filho na manjedoura, porque não havia lugar na casa e com São José, seu marido, olhemos para o Menino Jesus." 
"Que o seu sorriso, que floresceu durante a noite, disperse a indiferença e abra os corações à alegria daqueles que se sentem amados pelo Pai que está nos céus."
 A finalizar esta celebração 8º ano de catequese deixou uma bonita mensagem:
"Natal é amor, é esperança, é paz e é perdão. Esses são os sentimentos com que devemos viver a celebração do nascimento do nosso Salvador. 
Neste momento de paz, onde todas as pessoas se abraçam, se entendem, se cumprimentam e procuram novos sonhos; neste momento onde Deus se faz presente em cada oração, em cada família, em todos os lares, nós, catequizandos do oitavo ano também gostaríamos de expressar o carinho que temos por todos vós. 
E, por isso, queremos desejar que neste Natal sintam a presença de Deus, da paz, do amor, da esperança e do perdão. E que Jesus renasça no coração de todos nós, fortificando a nossa fé!
Feliz Natal para todos!"

terça-feira, 24 de dezembro de 2019

SANTO e FELIZ NATAL

Sementes de Esperança deseja a todos os que nos acompanham através desta página, Um Santo e Feliz Natal
⭐️
Um Menino nasceu para nós, um Filho nos foi dado.
Tem o poder sobre os seus ombros
e será chamado Conselheiro admirável.
Is 9, 6

NATAL DE LUZ E DE JESUS

Há dois mil anos Deus sonhou
E foi
Natal em Belém.
Sonha também.
Se o jumento corou
E o boi se ajoelhou,
Não deixes tu de orar também.

A notícia ecoou nos campos de Belém.
Com o celeste recital que ali se deu,
O céu ficou ao léu,
A terra emudeceu de espanto,
E os pastores dançaram tanto, tanto,
Que até os mansos animais entraram nesse canto.

Isaías 1,3 antecipou a cena,
E gravou com o fulgor da sua pena
O manso boi e o pacífico jumento
Comendo as flores de açucena da vara de José sentado ao lume,
E bafejando depois suavemente o Menino de perfume.
Enquanto os meigos animais vão comer à mão do dono,
O meu povo, diz Deus, não me conhece, e perde-se nos buracos de ozono.

Vem, Menino!
E quando vieres para a tua doirada sementeira,
Que logo cresce e se faz messe (João 4,35),
Quando assobiares às boieiras,
Chama também por mim,
Diz bem alto o meu nome,
Vamos os dois para o campo e para a eira,
E enche-me de fome de um amor como o teu,
Pequenino e enorme.

D. António Couto

SOLENIDADE DO NATAL DO SENHOR

Batizados: Nascidos de novo!

Senhor Jesus,
Tu és a Luz que vem a este mundo,
e a todos nos ilumina.
Nasce de novo, em nós,
neste Natal de 2019.
Nasce em nós, bem dentro de nós, a partir de nós.
Nasce, não já na carne ou no sangue,
que Te deram Corpo
no seio da Virgem Maria.
Mas nasce fazendo-nos nascer de novo.

Senhor, acendemos esta vela (do Batismo),
e acendemos, a partir dela,
todas as luzes do nosso Presépio,
para recordarmos o dia do nosso Batismo,
em que todos fomos gerados de novo,
renovados pelo Teu imenso Amor.

Ajuda-nos a renunciar ao egoísmo e ao orgulho
do homem velho,
para nascermos de novo
e assim nos tornarmos um povo purificado,
capaz de fazer brilhar, pelas obras,
a luz terna e eterna do Teu Amor.
Ámen.

Na oração da noite de consoada pode acrescentar-se:

Obrigado(a), Jesus, por nasceres em nós.
Obrigado(a), Jesus, por nasceres por nós.
Obrigado(a), Jesus, por teres nascido para nós.
Ámen.

ORAÇÃO PARA A NOITE DE NATAL


CELEBRAÇÕES DE NATAL NA PARÓQUIA

Hoje sabereis que o Senhor vem salvar-nos.
Amanhã vereis a sua glória.
Ex 16, 6-7

EM BICOS DE PÉS, EM SONHOS, EM SILÊNCIO

Se o Senhor não construir a casa,
Em vão trabalham os que a constroem.
Se o Senhor não guardar a cidade,
Em vão vigiam as sentinelas.

Não se pode esconder uma cidade
situada no cimo de um monte,
Ou sobre a linha do horizonte,
Porque alumia, alumia, alumia,
Irradia, irradia, irradia,
De noite e de dia.
Cidade de alto-a-baixo erguida,
Como um manto de orvalho caída,
Como uma ermida,
Uma jazida de luz
E de Jesus.

Tudo ao contrário
do que vem nos manuais ou nos jornais,
Lançai os fundamentos no céu,
Construí desde o cume,
Sobre o gume da Palavra
Que de Deus vem
Nascer em Belém
E aqui também.

Vem, Senhor Jesus!
Vem, vem, que Te esperamos!

D. António Couto

domingo, 22 de dezembro de 2019

IV DOMINGO DO ADVENTO

EIS QUE UMA VIRGEM

Eis que uma Virgem conceberá
e dará à luz um filho, chamado Emanuel.

Estou a ouvir o que diz o Senhor;
Deus anuncia a paz.

A sua salvação está perto dos que O temem
e a sua glória habitará na nossa terra.

Encontraram-se a misericórdia e a fidelidade,
abraçaram-se a paz e a justiça.

A fidelidade vai germinar da terra
e a justiça descerá do céu.

O Senhor dará ainda o que é bom
e a nossa terra produzirá seus frutos.

A justiça caminhará à sua frente
e a paz seguirá os seus passos.

sábado, 21 de dezembro de 2019

FOLHA DOMINICAL: informações e reflexões importantes para toda a comunidade

DOMINGO IV DO ADVENTO - Ano A

SALMO RESPONSORIAL Salmo 23 (24), 1-2.3-4ab.5-6 (R. 7c e 10b)
Refrão: Venha o Senhor: é Ele o rei glorioso.

Do Senhor é a terra e o que nela existe,
o mundo e quantos nele habitam.
Ele a fundou sobre os mares
e a consolidou sobre as águas.

Quem poderá subir à montanha do Senhor?
Quem habitará no seu santuário?
O que tem as mãos inocentes e o coração puro,
que não invocou o seu nome em vão nem jurou falso.

Este será abençoado pelo Senhor
e recompensado por Deus, seu Salvador.
Esta é a geração dos que O procuram,
que procuram a face do Deus de Jacob.

sexta-feira, 20 de dezembro de 2019

CAMINHADA DO ADVENTO E NATAL

ORAÇÃO

Senhor Jesus:
com Maria e José,
sonhamos a alegria do Teu Nascimento,
mesmo se essa alegria de vir ao mundo
tem também o seu preço, o seu sofrimento.
Porque Tu nasces na manjedoura
frágil, pobre e humilde,
como luz que brilha no meio da escuridão
das guerras, dos ódios e conflitos.
Na humildade do Presépio 
desenha-se já o sinal da Tua Cruz.

Acendemos esta vela (do Batismo),
para acordarmos e recordarmos 
que, graças a Ti, 
somos filhos amados de Deus.

Senhor, que o sinal da cruz, 
que traçamos na fronte, 
nos lábios e no peito,
nos dê uma nova forma de pensar,
o Teu jeito de ouvir e de falar
e a Tua bondade para amar a todos.
Ámen.

VEM, VEM, SENHOR, NÃO TARDES

Vem, vem, Senhor,
Não tardes,
E vem iluminar a noite sombria.
Vem trazer esperança, paz e harmonia.
O mundo continua à mingua de amor.
Morre-se de fome e de frio
E há tanta angustia e dor.

Vem, vem, Senhor.
Para que brilhe a Tua Luz,
O céu em júbilo resplandeça
E nunca mais anoiteça,
Em nenhuma casa, em nenhuma família,
Nem em cada coração que Te abriga.
Com amor, a Ti, Senhor!

quarta-feira, 18 de dezembro de 2019

QUARTA-FEIRA DA SEMANA III DO ADVENTO

EVANGELHO Mt 1, 18-25
Jesus nascerá de Maria, desposada com José, filho de David
(...)
Rezar a palavra
Conhecer a tua vontade e saber que és o Deus que vem ao meu encontro exige de mim uma resposta como a de José. A vida mostra-me tantas situações que classifico de impossíveis, limitadoras, destruidoras da minha vontade de responder com grandeza de alma e generosidade. Na tua Palavra mostras que nada acontece por acaso. Em todas as coisas se oculta a presença do teu Espírito que faz acontecer a vida e vida que é salvação para mim e para todos.

Compromisso
Não posso continuar de olhos fechados perante a ação do Espírito na minha vida.