terça-feira, 29 de janeiro de 2013

2º CICLO DE CONVERSAS AMPLAS - 5ª. CONFERÊNCIA


DO EU SOLITÁRIO AO NÓS SOLIDÁRIO
Frei Fernando Ventura
"É um tempo em que a nossa missão é ser gente com gente para que cada vez haja mais gente, e ninguém deixe de ser pessoa!"





Esta noite, mais que uma conferência, mais que uma catequese, foi uma provocação, um desafio e uma interpelação a todos nós. Pela intensidade da palavra, pela forma de a transmitir e pela inquietação que ficou no ar... só podemos dizer: Obrigada, Frei Ventura! 

segunda-feira, 28 de janeiro de 2013

2º CICLO DE CONVERSAS AMPLAS


Se não esteve presente em nenhuma das conferências, esta é a última oportunidade!
Não falte na segunda-feira à 5ª e última conferência e, no sábado, dia 2 de Fevereiro, 21h30, no Cine Teatro Eduardo Brazão, ao encerramento.

domingo, 27 de janeiro de 2013

sábado, 26 de janeiro de 2013

FOLHA DOMINICAL-Informações e Reflexões Importantes para Toda a Comunidade



2. CICLO DE CONVERSAS AMPLAS - 4ª. Conferência

Caridade e Misericórdia: a Práxis do Evangelho
Joaquim Vaz
Provedor da Santa Casa da Misericórdia de Gaia





No ambiente acolhedor de um dos auditórios da Academia de Música de Vilar do Paraíso, e tal como já tinha acontecido na 3ª Conferência, na ACRAV, foi tempo para escutar boa música, com os alunos da Academia.
Seguiu-se então o Sr. Provedor da Santa Casa de Misericórdia de Gaia,  que explicou, ainda que de forma sucinta tudo o que envolve a esta grande Instituição de Solidariedade,  e de cujo testemunho deixamos algumas palavras…
"Ser irmão duma Misericórdia não é apenas pagar uma cota… É prestar um serviço, mas muito mais do que dar é dar-se a todos sem distinção.
O Provedor tem que prover, cuidar e ser a voz dos que não tem voz..."


sexta-feira, 25 de janeiro de 2013

A CATEQUESE...

Neste fim de semana, a catequese decorrerá nos horários e locais habituais. Qualquer alteração será comunicada pelos catequistas. Esperamos por ti!

O Senhor enviou-me
a anunciar a boa nova aos pobres,
a proclamar aos cativos a redenção. 
 Lc 4, 18

CCA - 4ª. CONFERÊNCIA - 25 de Janeiro, 21h30, na Academia de Música de Vilar do Paraíso

ACEITA ESTE CONVITE!


CRIAÇÃO COMUM - Irmão Roger

No encerramento da Semana de Oração pela Unidade dos Cristãos que termina esta sexta-feira, 25 de janeiro, meditamos com as palavras do fundador da Comunidade de Taizé.




Quer sejam católicas ou protestantes, as gerações ascendentes exigem mais do que reformas: um renascimento da comunidade cristã. Mas, muitas vezes, metem o carro à frente dos bois esquecendo que não há reforma de uma comunidade sem reforma do indivíduo. É preciso que o ser preceda o agir. Obcecados por uma vontade de reforma, arriscamo-nos a esquecer que a atualização começa nas profundezas de nós mesmos.

A estes jovens repito frequentemente: na comunhão fraterna que hoje junta várias gerações em Taizé, queremos escutar o Espírito Santo em vós, alargando a nossa inteligência, o nosso espírito, o nosso coração. Pedi a nossa conversão a Deus e construiremos em conjunto, e em conjunto diremos: «Vê, Senhor, o teu povo; considera os homens, nossos irmãos, pelo mundo. Separámo-nos, não nos conseguimos voltar a unir para participar numa criação comum. Desfaz a nossa suficiência. Abrasa-nos todos do fogo do teu amor».

E digo-lhes também: ninguém constrói a partir do zero. O poder das pulsões que vos anima pode fazer-vos crer que conseguireis reconstruir sozinhos. Mas o espírito do povo de Deus é construir com todos. Não esqueceis o dia de ontem. Nada de duradouro se realiza sem uma criação comum.

Na comunidade do povo de Deus, como em toda a comunidade cristã, conjugal ou outra, é cada membro que dia após dia participa na recriação de todo o corpo. Se um membro, dominado por uma paixão criadora pessoal, completa a sua obra sem a inserir na criação comum, destrói-a sem se dar conta.

Não há vida comum sem que a única referência de todos seja a de construir em conjunto. O sinal de comunhão que irradiará então entre os homens é mais importante do que a mais nobre obra individual, concebida à margem da comunidade.

A nossa criação torna-se comum desde que consideremos o que Deus nos prepara. Muitos são os sinais que hoje nos são dados. Deus prepara-nos uma comunidade cristã que será lugar de comunhão, que oferecerá à insegurança dos homens através do mundo um chão sólido para todos. Não haverá violência para chegar a esta comunhão. Ninguém será jamais arrancado à sua família eclesial ou humana. Proceder assim não seria uma criação comum. Seria ferir o amor, e quem fere o amor não constrói o povo de Deus.

http://www.snpcultura.org/criacao_comum.html

quinta-feira, 24 de janeiro de 2013

CICLO DE CONVERSAS AMPLAS - 3ª. Conferência

Dignidade e Centralidade da Pessoa, Economia e Bem Comum
António Bagão Félix
" O MAIS IMPORTANTE SÃO AS PESSOAS"

Mais uma noite de Conversas Amplas aconteceu na ACRAV, com a excelência de um orador que cativou pela afabilidade, simpatia, humor, a forma simples como se expressou e nos esclareceu.

 Em breve publicaremos mais imagens e daremos conta da importância das suas palavras.

terça-feira, 22 de janeiro de 2013

2º. CICLO DE CONVERSAS AMPLAS

 2ª. CONFERÊNCIA 
 FÉ, TELEVISÃO E CRISE, EM BUSCA DA FELICIDADE 
Hélder Reis 
A chegada do jovem jornalista da RTP
Acolhido pelo Rev. Pe. Zé Manel, e pela Mónica e António
Atento...
Em mais uma noite de chuva e vento, ainda assim, uma boa assistência no salão do Dramático
A apresentação do orador feita pela casal da pastoral familiar, Mónica e António.
A presença jovem, simpática e despretensiosa de Hélder Reis, fez da 2ª Conferência uma conversa amena, intimista, de partilha do seu percurso de vida, assente nos valores da verdade e da ética.
Como profissional da comunicação social, reconhece o poder que as notícias catastróficas têm para as audiências, mas, procura dentro do possível, deixar sempre uma mensagem de esperança em cada trabalho que faz.
Porque a felicidade é isso mesmo, ter esperança e deixar de lado o medo, citando palavras de João Paulo II, que dizia: - "Não tenhais medo!"
As dúvidas e inquietações, a angústia, o nem todos os dias estar bem, e o medo, tudo isso faz parte do seu quotidiano, que procura relativizar, porque a cada dia surge um novo amanhã para viver com intensidade, mas também com muita responsabilidade.
Hélder Reis, que antes de enveredar pelo jornalismo fez licenciatura em Teologia, com a tese "O Sagrado na poesia de Sophia de Mello Breyner", deixou-nos a terminar, com um dos belos poemas de Sophia tão a propósito para o momento...
A Forma Justa

Sei que seria possível construir o mundo justo
As cidades poderiam ser claras e lavadas
Pelo canto dos espaços e das fontes
O céu, o mar e a terra estão prontos
A saciar a nossa fome do terrestre
A terra onde estamos – se ninguém atraiçoasse – proporia
Cada dia a cada um a liberdade e o reino -
Na concha na flor no homem e no fruto
Se nada adoecer a própria forma é justa
E no todo se integra como palavra em verso
Sei que seria possível construir a forma justa
De uma cidade humana que fosse Fiel à perfeição do universo

Por isso recomeço sem cessar a partir da página em branco
E este é meu ofício de poeta para a reconstrução do mundo

Sophia de Melo Breyner

Da assistência foram surgindo perguntas...
Algumas sobre o tema...
Outras mais pessoais...
Mas principalmente elogios ao jovem orador...
A terminar, para além dos aplausos, flores...
E uma aguarela...
Linda!
Vem a propósito referir que todas as aguarelas feitas para estas CCA, são da autoria do pintor Júlio Costa e emolduradas pela Foto Martinho, tudo gratuito! A ambos, o nosso obrigado pela pela disponibilidade e generosidade. 
Na afabilidade que lhe é inerente, Hélder Reis, cumprimentou todos os que no final, quiseram estar com ele mais de perto.

sexta-feira, 18 de janeiro de 2013

EIS O CONVITE: «Fazei tudo o que Ele vos disser»

O milagre mais profundo de Caná não é a transformação da água em vinho, mas é a fé dos discípulos, a fé, que tudo transforma, tudo cria e recria: ela abre os olhos ao que falta e ao que sobra, ela abre no coração as fontes da alegria (Pe. Amaro Gonçalo)

quarta-feira, 16 de janeiro de 2013

2ª CCA - "UMA ÉTICA CRISTÃ PARA TEMPOS DE CRISE?"


É já na próxima sexta-feira, 18 de Janeiro, às 21h30, no Centro Paroquial, que se realiza a 1º CCA, desta Ano da Fé, organizada pela Pastoral da Família, que tal como no ano passado vai trazer até nós oradores de excelência.
Este ano, o primeiro conferencista será o Rev. Pe. Dr. António Augusto de Oliveira Azevedo, que é Membro do Conselho Presbiteral, Reitor do Seminário Maior, Professor da Faculdade de Teologia da U.C.P (Porto), Juiz do Tribunal Eclesiástico e Assistente do C.P.M.
Recordamos que o Pe. António Augusto foi Pároco de Vilar do Paraíso, durante 10 anos, e podemos dizer que nunca “cortou o cordão” que o liga ao povo desta terra, onde conta inúmeros amigos, que visita quando os seus muitos afazeres o permitem.
É, assim, uma oportunidade única de abraçar o amigo, fazer-lhe uma recepção calorosa, e escutar o muito que terá para nos ensinar.

Contamos com a presença de todos!


segunda-feira, 14 de janeiro de 2013

BAPTISMO: que fazemos dele hoje?

Baptismo é o sacramento comum a todos os cristãos. A Igreja administra-o segundo a missão que o Senhor lhe confiou: "De todos os povos fazei discípulos, baptizando-os em nome do Pai e do Filho e do Espírito Santo." (Mt 28,19).

O Baptismo estabelece uma relação pessoal com Jesus. Significa também a inserção na comunidade dos fiéis, a Igreja. Realiza o perdão dos pecados e marca o início duma nova vida como irmão ou irmã de Jesus Cristo, filho ou filha de Deus. Os baptizados rezam: "Pai-nosso que estais nos céus".
O Baptismo é um começo, primícias de Deus que é preciso fazer frutificar ao longo de toda a vida: "Sepultados com Cristo no Baptismo, estais também ressuscitados com Ele, porque acreditastes na força de Deus que O ressuscitou dos mortos" (Cl 2,12).



sábado, 12 de janeiro de 2013

DOMINGO do Baptismo do Senhor - Ano C



SALMO RESPONSORIAL Salmo 28 (29), 1a.2.3ac-4.3b.9b-10 (R. 11b)
Refrão: O Senhor abençoará o seu povo na paz. 

Tributai ao Senhor, filhos de Deus,
tributai ao Senhor glória e poder.
Tributai ao Senhor a glória do seu nome,
adorai o Senhor com ornamentos sagrados. 

A voz do Senhor ressoa sobre as nuvens,
o Senhor está sobre a vastidão das águas.
A voz do Senhor é poderosa,
a voz do Senhor é majestosa. 

A majestade de Deus faz ecoar o seu trovão
e no seu templo todos clamam: Glória!
Sobre as águas do dilúvio senta-Se o Senhor,
o Senhor senta-Se como Rei eterno.