terça-feira, 31 de janeiro de 2017

6º CICLO DE CONVERSAS AMPLAS

Amanhã será a 5ª CONVERSA
 Fica o CONVITE!

6º CICLO DE CONVERSAS AMPLAS - 4ª CONVERSA

Algumas imagens de mais uma excelente CONVERSA, 
que aconteceu ontem na ACRAV, 
com a Dra. Isabel Maria Gil
 Sorrisos bonitos na plateia, com a Paulinha  
que festejava mais uma primavera!
 O Salão da ACRAV, com todos os que quiserem 
escutar a ilustre convidada.
Agradecimentos:
ACRAV
Fotos Martinho
Otília Florista

PAPA CRITICA SILÊNCIO DOS MEDIA SOBRE «MÁRTIRES» CRISTÃOS

O Papa Francisco criticou no Vaticano o silêncio dos media sobre os “mártires” cristãos da atualidade e elogiou a força espiritual das pequenas Igrejas perseguidas.

“Hoje há mais [mártires] do que nos primeiros séculos, os media não o dizem porque não dá notícia, mas muitos cristãos no mundo de hoje são bem-aventurados porque são perseguidos, insultados, presos”, disse, na homilia da Missa a que presidiu na capela da Casa de Santa Marta.

domingo, 29 de janeiro de 2017

FELIZES, FELIZES, FELIZES!

Neste Domingo IV do Tempo Comum, iniciamos a proclamação e a escuta qualificada do grande Discurso programático de Jesus, ou Discurso da Montanha, que nos ocupará durante seis Domingos, do IV ao IX. Hoje, Jesus sobe à MONTANHA para dizer a rapsódia mais bela e encantatória e revolucionária das «FELICITAÇÕES» ou «BEM-AVENTURANÇAS». É verdade. Há certas maravilhas que só se podem dizer nas alturas e compreender nas alturas, perto do céu, como que à altura e velocidade de cruzeiro. Destas FELICITAÇÕES envolve-nos, de facto, a sua cadência encantatória ainda antes dos seus conteúdos. Para entrar no coração destas fragrâncias, é preciso levantar o coração (sursum corda), e ir com os pássaros que Deus alimenta em pleno voo.

D. António Couto 

sábado, 28 de janeiro de 2017

DOMINGO IV DO TEMPO COMUM - Ano A

SALMO RESPONSORIALSalmo 145 (146), 7.8-9a.9bc-10 (R. Mt 5, 3 ou Aleluia) 
Refrão: Felizes os pobres que o são no seu íntimo
porque deles é o reino dos Céus. 

O Senhor faz justiça aos oprimidos, 
dá pão aos que têm fome 
e a liberdade aos cativos. 

O Senhor ilumina os olhos dos cegos, 
o Senhor levanta os abatidos, 
o Senhor ama os justos. 

O Senhor protege os peregrinos, 
ampara o órfão e a viúva 
e entrava o caminho aos pecadores. 

O Senhor reina eternamente. 
O teu Deus, ó Sião, 
é Rei por todas as gerações. 

FOLHA DOMINICAL - informações e reflexões importantes para toda a comunidade

sexta-feira, 27 de janeiro de 2017

PAPA RECEBEU RESPONSÁVEIS JUDAICOS DA EUROPA E EVOCOU HOLOCAUSTO

"O Papa começou a conversa mencionando esta jornada importante para os judeus, mas também para nós, porque recordar as vítimas do Holocausto é importante para que esta tragédia humana nunca mais se repita", relatou.

Francisco recorreu também à rede social Twitter para assinalar a data: "Hoje, desejo fazer memória no coração de todas as vítimas do Holocausto. Que o seu sofrimento, suas lágrimas, nunca sejam esquecidos".

CONVITE PARA A PRÓXIMA CONVERSA

Para agendar e participar, segunda-feira
ACRAV, 21h30

quinta-feira, 26 de janeiro de 2017

SEMANA DA VIDA CONSAGRADA 2017

26 de janeiro a 2 de fevereiro
Senhor Jesus,
Tu amas-nos como mais ninguém nos ama
e chamas todas as pessoas a serem plenamente felizes.
Tu confias a cada um uma missão de amor.
Ajuda-me, Senhor, a escutar-Te no meu coração.
Ensina-me os Teus caminhos de Vida, Paz e Amor.
Quero fazer a Tua vontade.
Porque a Tua vontade é a felicidade da minha vida.
Se quiseres que eu seja também consagrado,
Ajuda-me a dizer-Te: SIM!
Conta comigo para o que quiseres.
Faz crescer o Teu Amor no meu coração,
para ajudar todos os que precisam da Tua Vida, Senhor.

6º CCA - 3 ª CONVERSA COM A DRA. MARIA LOPES CARDOSO

Sala cheia na Associação Recreativa Entre Parentes,
com o seu Grupo de Cavaquinhos a brindar a assistência.
 
 Apresentação da ilustre convidada.
E assim se iniciou mais uma excelente Conversa,
que não deixou os presentes defraudados.
 
E, muito mais se enriqueceu, com o debate que suscitou.
 
 De homens e mulheres activos e participativos que 
dão vida estas Conversas.
 
A terminar, uma lembrança e belas flores 
com imensa gratidão pela presença.
 
Agradecimentos
Associação Recreativa Entre Parentes
Foto Martinho
Otília Florista

LITURGIA - EVANGELHO Mc 4, 21-25

Evangelho de Nosso Senhor Jesus Cristo segundo São Marcos 

Naquele tempo, disse Jesus à multidão: «Quem traz uma lâmpada para a pôr debaixo do alqueire ou debaixo da cama? Não se traz para ser posta no candelabro? Porque nada há escondido que não venha a descobrir-se, nem oculto que não apareça à luz do dia. Se alguém tem ouvidos para ouvir, oiça». Disse-lhes também: «Prestai atenção ao que ouvis: Com a medida com que medirdes vos será medido e ainda vos será acrescentado. Pois àquele que tem dar-se-lhe-á, mas àquele que não tem até o que tem lhe será tirado». 

quarta-feira, 25 de janeiro de 2017

6º CCA - IRMÃ ÂNGELA DE FÁTIMA COELHO

Mais algumas imagens e testemunhos
"Valeu. Muito bom. Que Maria, Senhora do Rosário, continue connosco este caminho de paz! Obrigado!"  Pe. Zé Manel.
 "Adorei....vim com a alma cheia....Obrigado!! " Lu SoaresdaCosta
"Que maravilha  assim nem há frio nem sono que nos demova. Quem havia dizer que da minha terra nascia uma alma tão boa. Que Deus esteja sempre com ela!" Amandio Pinto
"Foi maravilhoso ! não me cansava de ouvir outra vez ..." Helena Choupina
"Muito bom, gostava de a voltar a ouvir a falar sobre Fátima. Paula Alexandra Duarte
Muito obrigado Pe Zé Manel por nos presentear com temas tão importantes que nos fortalecem o espírito. Bem Haja: Laura Queiroz
"Adorei. Foi muito bom. Obrigada!" Maria do Céu Dias
"Um testemunho verdadeiramente vivo da Alegria do Encontro! Foi um momento de partilha fantástico!" Alexandra Silva
Agradecimentos
Foto Martinho
Otília Florista

terça-feira, 24 de janeiro de 2017

MENSAGEM DO PAPA FRANCISCO, Para o 51.º Dia Mundial das Comunicações Sociais

«Não tenhas medo, que Eu estou contigo» (Is 43, 5).
Comunicar esperança e confiança, no nosso tempo
Graças ao progresso tecnológico, o acesso aos meios de comunicação possibilita a muitas pessoas ter conhecimento quase instantâneo das notícias e divulgá-las de forma capilar. Estas notícias podem ser boas ou más, verdadeiras ou falsas. Já os nossos antigos pais na fé comparavam a mente humana à mó da azenha que, movida pela água, não se pode parar. Mas o moleiro encarregado da azenha tem possibilidades de decidir se quer moer, nela, trigo ou joio. A mente do homem está sempre em ação e não pode parar de «moer» o que recebe, mas cabe a nós decidir o material que lhe fornecemos (cf. Cassiano o Romano, Carta a Leôncio Igumeno).
(...)
A todos quero exortar a uma comunicação construtiva, que, rejeitando os preconceitos contra o outro, promova uma cultura do encontro por meio da qual se possa aprender a olhar, com convicta confiança, a realidade.
(...)
Quem, com fé, se deixa guiar pelo Espírito Santo, torna-se capaz de discernir em cada evento o que acontece entre Deus e a humanidade, reconhecendo como Ele mesmo, no cenário dramático deste mundo, esteja compondo a trama duma história de salvação. O fio, com que se tece esta história sagrada, é a esperança, e o seu tecedor só pode ser o Espírito Consolador. A esperança é a mais humilde das virtudes, porque permanece escondida nas pregas da vida, mas é semelhante ao fermento que faz levedar toda a massa. Alimentamo-la lendo sem cessar a Boa Notícia, aquele Evangelho que foi «reimpresso» em tantas edições nas vidas dos Santos, homens e mulheres que se tornaram ícones do amor de Deus. Também hoje é o Espírito que semeia em nós o desejo do Reino, através de muitos «canais» vivos, através das pessoas que se deixam conduzir pela Boa Notícia no meio do drama da história, tornando-se como que faróis na escuridão deste mundo, que iluminam a rota e abrem novas sendas de confiança e esperança.

http://press.vatican.va/…/pubbl…/2017/01/24/0051/00118.html…

DEUS ANDA POR AÍ À PROCURA DE TI

Jesus é Deus que desce ao nosso mundo,
Caminha pelas nossas estradas,
Percorre as nossas praias,
Visita as nossas casas,
Vem ter connosco aos nossos lugares de trabalho.
Jesus é Deus que passa, ama e chama.

Mas não nos chama a responder a um inquérito,
A preencher uma ficha,
Responder a uma entrevista,
Fazer uma inscrição,
Pagar a matrícula,
Aprender uma doutrina.

Não é como os escribas que Jesus ensina ou examina.
Nem sequer nos entrega um projeto de vida,
Uns apontamentos, um guião, caneta, tinta, mata-borrão.
Chama-nos apenas a segui-lo no caminho:
«Vinde atrás de Mim!»,
E partilha logo connosco a sua vida toda,
Como uma boda.

Não nos põe primeiro a fazer um teste,
Não nos ama nem chama à condição,
Não tem lista de espera,
Não nos põe num estágio,
Num estado,
Num estrado,
Numa estante,
Mas num caminho!

E um dia mais tarde,
Ouvi-lo-emos dizer ainda: «Ide!».
É sempre no caminho que nos deixa.
Não apresenta queixa.
Não paga ao fim do mês.
Pede e dá tudo de uma vez.
Vem, Senhor Jesus!
Vem e ama!
Vem e chama por mim outra vez!

D. António Couto

III DOMINGO DO TEMPO COMUM - ANO A - Eucaristia com a Catequese

A cantar:  Deixa Deus entrar/ na tua própria casa /Deixa-te tocar /pela Sua Graça. /Dentro em segredo /reza-lhe sem medo /Senhor! Senhor! Que queres que eu faça?
Celebramos a Eucaristia com a Catequese no passado dia 21 de janeiro, preparada pelo 5º ano de catequese, que apresentaram também uma dinâmica inspirada pelo Evangelho.
Assim, no momento de Ação de Graças, as crianças do 5º catecismo, levaram ao altar pequenos barcos de papel com um desejo, que colocaram em taças de água, enquanto era lido um bonito texto:
O projeto de vida de Deus é diferente de pessoa para pessoa, mas todos os projetos têm uma base. Esta base é constituída por todos os atos e sentimentos puros, como o ato de perdoar quem cometeu o mal, de dar de comer e beber a quem precisa, ajudar os mais necessitados como os doentes, os pobres e os sem-abrigo, ajudar os meninos e as meninas com necessidades especiais e com dificuldades ao longo da vida e amar o próximo.
Mas, para podermos concretizar o Seu projeto temos de Lhe ser fiel, para podermos ajudar as outras pessoas e assim construir um mundo melhor. Jesus veio mostrar-nos que isso é possível! 
Queremos, assim, ser pescadores de sorrisos, de alegria; pescadores da paz, da esperança; pescadores de fé, amor… Queremos seguir-Vos e ser, também, pescadores de homens. Neste gesto simbólico, depositamos no altar um barquinho com um desejo. Esse desejo representa um pouquinho da mensagem do Evangelho.
E como como queremos levar essa Boa Noticia a todos vocês, iremos entregar-vos um barquinho com um desejo. Pedimos que o guardem, sobretudo no coração, nas vossas orações, e que nunca se esqueçam que o nosso desejo é, também, um desejo de Deus! O desejo de Deus é a nossa felicidade!  
Por isso, obrigado Deus, por nos ensinares a respeitar a lei do Bem, por conduzires a história de cada um de nós, por recompensares quem ajuda e respeita as tuas leis, por nos acompanhares na nossa história e por estares sempre presente no nosso caminho do dia-a-dia.
Seguiu-se o cântico de Ação de Graças e a distribuição a toda a Assembleia de barquinhos. 
Em festa em alegria, assim vivemos a Eucaristia e terminamos cantando: Vou remar contigo! Nós te seguiremos Jesus de Nazaré. Contigo iremos, contigo iremos. 
Agradecimentos ao 5º ano de catequese pela partilha de imagens e guião desta celebração.

6º CCA – 2ª CONVERSA COM A IRMÃ ÂNGELA DE FÁTIMA COELHO

O primeiro pensamento que me ocorre, na memória daquela noite, vai para quem gostava, mas não pôde ir. Vai ainda para quem não teve coragem de enfrentar o frio, porque não imagina o quanto perdeu!
 Sinto-me incapaz de falar do que se passou naquele encontro… Porque as palavras ficarão muito aquém do que ali se ouviu, do entusiasmo com que foi dito, da leveza,  alegria e, simultaneamente, da profundidade, conhecimento e atualidade com que foi falado de parte da mensagem da Senhora do Rosário, aparecida em Fátima, a três crianças.
Que bela catequese a daquela noite! Tivéssemos a noite toda, e a Irmã Ângela de Fátima parecia disposta a tê-la…, e continuaríamos a ouvir sem cansar…
Falou-nos da distinção entre crentes e pessoas de fé. Aqueles abandonam a igreja perante qualquer escândalo ou desavença, estes independentemente das fragilidades da igreja, seguem Cristo porque Nele se configuram. A Senhora do Rosário, que foi como se apresentou às crianças, trouxe e mostrou-lhes a Luz de Deus. E é desse encontro de Luz que nasce a fé inabalável daquelas crianças. A senhora do Rosário não se veio mostrar a si própria…nem dar a conhecer… A 1.ª pergunta que fez foi :“Quereis oferecer-vos a Deus?” e abriu as suas mãos deixando sair delas essa Luz que penetrou nos seus corações. Luz que tornava a Senhora mais brilhante que o sol.
E aquelas crianças configuraram-se em Cristo. O Francisco na contemplação… Ele recolhia-se em oração, como Jesus, e contemplava o sacrário. Quando lhe perguntavam o que estava a fazer ele dizia que queria consolar Nosso Senhor como pedira o Anjo. Jacinta configurou-se no sofrimento. Teve uma morte em que experimentou a sede e a solidão, como Jesus. Morreu só, no hospital de D. Estefânia em Lisboa, porque sua mãe não tinha possibilidade económica de a acompanhar. Quando a prima Lúcia lhe perguntava por que intenção queria oferecer o seu sofrimento na doença, ela respondia: “por todas”. E a Lúcia configurou-se na obediência até à morte, como Jesus.
A Senhora do Rosário é a mesma Mãe das bodas de Caná da Galileia, onde disse aos serventes da festa: “fazei o que ele vos disser”. Em Fátima a Mãe pede o mesmo. Ela mostra o seu coração maternal -  E por fim o meu coração triunfará.
O rosário é a vida dessa Mãe – de Belém a Jerusalém – acompanhando o Seu Filho até ao pé da Cruz.
Por isso, na basílica em Fátima, após as obras de restauro, a imagem da Nossa Senhora passou agora a ocupar o lugar ao pé da Cruz.
Fotos: Foto Martinho
Texto: CR 
Flores: Otília Florista
Organização: Pastoral da Família VP

segunda-feira, 23 de janeiro de 2017

SEMANA DE ORAÇÃO PELA UNIDADE DOS CRISTÃOS

A Oração do Senhor (Pai Nosso, versão ecumênica)

Pai nosso, que estás nos céus, 
santificado seja o teu nome, venha o teu Reino, 
seja feita a tua vontade, assim na terra como no céu. 
O pão nosso de cada dia nos dá hoje, 
perdoa-nos as nossas ofensas, 
assim como nós perdoamos a quem nos tem ofendido. 
E não nos deixes cair em tentação, 
mas livra-nos do mal.

Pois teu é o Reino, o poder e a glória para sempre. 
Amém.

6º CICLO DE CONVERSAS AMPLAS

23 de janeiro, 21h30, na A.R. Entre Parentes
Mais uma CONVERSA a não perder, 
desta vez com a Dra. Maria Lopes Cardoso.

Fica o CONVITE!

sábado, 21 de janeiro de 2017

DOMINGO III DO TEMPO COMUM - Ano A

SALMO RESPONSORIAL Salmo 26 (27), 1.4.13-14 (R. 1a) 
Refrão: O Senhor é minha luz e salvação
Ou: O Senhor me ilumina e me salva. 

O Senhor é minha luz e salvação: 
a quem hei-de temer? 
O Senhor é protector da minha vida: 
de quem hei-de ter medo? 

Uma coisa peço ao Senhor, por ela anseio: 
habitar na casa do Senhor 
todos os dias da minha vida, 
para gozar da suavidade do Senhor 
e visitar o seu santuário. 

Espero vir a contemplar a bondade do Senhor 
na terra dos vivos. 
Confia no Senhor, sê forte. 
Tem confiança e confia no Senhor.  

FOLHA DOMINICAL - informações e reflexões importantes para toda a comunidade

6º CICLO DE CONVERSAS AMPLAS COM A DRA ILDA FIGUEIREDO

Nestas conversas amplas temos vindo a ser habituados a personalidades com vasto curriculum vitae e exposição pública, sobejamente conhecida quer pelo exercício da cidadania quer pela defesa de causas do bem comum. É por isso que o CCA não deixa também de ser um tempo de formação.
A 1.ª CA deu-nos a conhecer melhor o percurso de vida da Dra Ilda Figueiredo, que publicamente conhecida pela sua filiação partidária, nos surpreendeu pelo seu percurso e foi, como ela própria o referiu, surpreendida pelo convite, pois não tem prática religiosa, o que já não é de agora, mas desde a sua juventude.
Recebeu o convite com surpresa, mas aceitou desde o primeiro instante.
Gostou particularmente do lema “pensar a vida com o coração” (que acompanha o tema do CCA deste ano), pois, como referiu, sempre para ela o importante mesmo são as pessoas. Expressou naquela noite que a principal fonte da sua preocupação com as pessoas, a solidariedade e o bem- estar social , foi a sua passagem pela JOC na sua juventude.
Denotou uma admiração pelo Papa Francisco, um homem pela paz, por denunciar abertamente a guerra e a exploração e pelos seus gestos de paz.
A Dra Ilda Figueiredo é uma mulher de convicções e de luta pela defesa dos direitos humanos, nomeadamente, da liberdade, do trabalho e da igualdade. Uma mulher de pontes, pela solidariedade e pela paz, que nos falou dos direitos da mulher, mormente o tratamento de igualdade, consagrado na Lei  pela primeira vez em Portugal, em Abril  de 1976, no artigo 13.º da Constituição. Efetivamente, um passo gigante…mas não suficiente, pois a previsão legal não é sempre acompanhada pela prática, nem pela mudança de mentalidade.
É pois necessário conhecer os direitos e fazê-los valer. E em cada país, tal como em Portugal encontrámos o nosso caminho, terá de encontrar o seu. Não são as guerras nem as invasões exteriores a resolver os problemas de países onde não são reconhecidos tais direitos, tal como a história o tem demonstrado.
Façamos pontes para construir um mundo melhor, porque isso é possível. Esta foi a última  mensagem deixada.
Foram as palavras de paz e de esperança de uma mulher de lutas, cuja vida tem dado testemunho de uma permanente intervenção 
Fotos: Foto Martinho
Texto: CR
Organização: Pastoral da Família VP