Faça o seu DONATIVO à Paróquia de São Pedro de Vilar do Paraíso. IBAN PT50 0018 000010163256001 75 (Fábrica da Igreja Vilar do Paraíso). Se desejar recibo para efeitos de IRS, envie e-mail para: parocovp@gmail.com. Muito obrigado!

segunda-feira, 28 de junho de 2021

FESTAS DO PADROEIRO S. PEDRO

Missa de Ação de Graças a S. Pedro e S. Paulo
Terça-feira, 29 de junho 21h00, 
na Igreja Paroquial.

S. PEDRO E S. PAULO, Apóstolos – SOLENIDADE

SALMO RESPONSORIAL
Salmo 18 A (19 A), 2-3.4-5 (R. 5a)
Refrão: A sua mensagem ressoou por toda a terra.

Os céus proclamam a glória de Deus
e o firmamento anuncia a obra das suas mãos.
O dia transmite ao outro esta mensagem
e a noite a dá a conhecer à outra noite.

Não são palavras nem linguagem
cujo sentido se não perceba.
O seu eco ressoou por toda a terra
e a sua notícia até aos confins do mundo.

XIII DOMINGO DO TEMPO COMUM

Neste domingo, na Eucaristia das 9h30, na Capela de S. Caetano, a Infância  e Adolescência Missionária participou e dinamizou alguns momento da celebração.
Estar em igreja, tornar-nos parte da assembleia de gente de todas as idades, como família que reza e celebra a VIDA! E, sabendo que Deus não é o autor da morte, somos convidados neste dia a alegrarmos e a acreditar que Deus nos destina à verdadeira Vida! 
Com S. Paulo, que procurava prover às necessidades da comunidade de Corinto, aprendemos que também nos nossos dias devemos estarmos atentos às carências dos nossos irmão e ser generosos, pois todos "fomos enriquecidos à custa da pobreza que o Senhor quis suportar por todos nós."
A palavra chave do Evangelho: “Levanta-te” traduz perfeitamente este louco desejo de Deus em ver o homem vivo, o seu amor incondicional pela vida. “Adormecida”, no “sono da morte”… um estado do qual Deus nos quer fazer sair, um estado do qual Jesus nos salva. “. 
A partilha fraterna com os que mais precisam de que S. Paulo nos falou, é proposta a toda a comunidade, para ajudar a minimizar carências em muitas famílias nestes tempos difíceis que vivemos. 
«Aliviai com a vossa abundância a indigência dos irmãos pobres», propunha-nos 2ª Leitura. E a pequena Jacinta é também para a IAM exemplo de partilha como os mais pobres, que trouxe bens alimentares que serão encaminhados para as Vicentinas.
"A caridade, vivida seguindo as pegadas de Cristo na atenção e compaixão por cada pessoa, é a mais alta expressão da nossa fé e da nossa esperança." Palavras do Papa Francisco neste domingo. 

A finalizar a dinamização desta celebração e porque estamos a terminar o mês de junho dedicado ao Sagrado Coração de Jesus, momento de oração das crianças com a avó, como "ponto de partida" para a o Dia Mundial dos Avós e  dos Idosos, que será celebrado no 4º domingo de julho e pretendemos assinalar. 

JUNHO: MÊS DO SAGRADO CORAÇÃO DE JESUS

Quase o terminar o mês de Junho lembramos as palavras do Papa Francisco sobre a devoção ao Sagrado Coração de Jesus.
 “Que neste mês de junho, dedicado de uma forma especial ao Coração de Cristo, possamos repetir uma oração simples: “Jesus, faz com que o meu coração se assemelhe ao teu”. Assim, também o nosso coração, pouco a pouco, se tornará mais paciente, mais generoso, mais misericordioso”.

CATEQUESES FINAIS - 1.º ANO

 Aqui ficam umas notas sobre as catequeses finais do 1.º ano:

Uma catequese diferente:

O tema da catequese foi "Aprendo a agradecer". Imbuídos desse espírito, fomos à Capela e aí, na casa de Deus, agradecemos toda a Sua bondade, agradecemos pela natureza, pelos animais, pela família, pelos amigos, pela escola, pela catequese e, sobretudo, por Jesus ser nosso amigo!

Como realçado na catequese anterior, onde, com os nomes de todos nas pétalas, fizemos uma flor para oferecer a Deus e a Jesus:

Somos o Grupo de Amigos de Jesus!

Vamos agora de ferias e voltaremos depois com muita alegria, para começar o 2.º ano, com Jesus a iluminar sempre o nosso caminho.

QUANDO JESUS ENTRA NA NOSSA VIDA

O Evangelho deste Domingo XIII do Tempo Comum (Marcos 5,21-43) oferece-nos dois milagres de Jesus, relatados de forma entrelaçada, um dentro do outro: o relato da cura de uma mulher que há doze anos sofria de uma hemorragia (Marcos 5,25-34), dentro do relato da chamada «ressuscitação» da filha, de doze anos de idade, de Jairo, um dos chefes da sinagoga (Marcos 5,22-24.35-43).
(...)
6. Jesus nunca chega atrasado. Ele é o Senhor que pelo caminho se demora connosco. À chegada à casa de Jairo, vê prantos e lamentações. Os orientais são excessivos na expressão dos seus sentimentos, quer de alegria, quer de dor. Contra aqueles gritos desarticulados, uma vez mais Jesus diz uma palavra carregada de sentido: «A menina não morreu, mas dorme» (Marcos 5,39). Esta maneira de falar da morte como de um sono é linguagem habitual na Igreja primitiva (1 Tessalonicenses 4,13-15; 1 Coríntios 11,30; 15,6 e 20; Mateus 27,52) e na tradição da Igreja ainda hoje. Notemos que a nossa palavra «cemitério» deriva do grego koimêtêrion, que significa literalmente «dormitório». E, na liturgia, é habitual rezarmos pelos nossos irmãos que adormeceram em Cristo.

domingo, 27 de junho de 2021

FESTA DE SÃO PEDRO

Festa do Padroeiro
2021
Celebração da Eucaristia
no adro da Igreja.
Momento de ensaio.
Inicio da celebração.
Incensando o altar.
I Leitura
Salmo Responsorial
II Leitura 
Proclamação do Evangelho
Homilia 
Disse Pedro a Jesus: Tu és Cristo, 
o Filho de Deus vivo.
Jesus respondeu-lhe: Tu és Pedro
e sobre esta pedra edificarei a minha Igreja.
 Mt 16, 16.18
Imagens: José Manuel Pinto 
e Armandina Oliveira 

sábado, 26 de junho de 2021

FESTAS DO PADROEIRO S.PEDRO

EUCARISTIA SOLENE de S. PEDRO
Domingo, 27 de junho, 11h00, Igreja Paroquial

No final da Eucaristia, uma viatura percorrerá, sem paragens, algumas Ruas da Paróquia, com o andor de S. Pedro.
Itinerário: Igreja Paroquial, Rua D. António Augusto Azevedo, Rua Nova da Corujeira, Rua da Corujeira, Rua do Painçal, Rua de Cadavão, Rua Camilo Castelo Branco, Rua Dr. António Vale, Rua Conselheiro da Fonseca, Rua Dr. Flórido Toscano, Largo do Jardim (Capela S. Martinho), Rua Dr. Flórido Toscano, Rua Camilo Castelo Branco, Rua da Igreja do Paraíso, Igreja Paroquial.

Terça-feira, 29 de junho, 21h00 - Missa de Ação de Graças a S. Pedro e S. Paulo.

FOLHA DOMINICAL: informações e reflexões importantes para toda a comunidade

DOMINGO XIII DO TEMPO COMUM - Ano B

SALMO RESPONSORIAL Salmo 29 (30), 2.4.5-6.11.12a.13b (R. 2a)
Refrão: Louvar-Vos-ei Senhor, porque me salvastes.

Eu Vos glorifico, Senhor porque me salvastes
e não deixastes que de mim se regozijassem os inimigos.
Tirastes a minha alma da mansão dos mortos,
vivificastes-me para não descer ao túmulo. 

Cantai salmos ao Senhor, vós os seus fiéis,
e dai graças ao seu nome santo.
A sua ira dura apenas um momento
e a sua benevolência a vida inteira.
Ao cair da noite vêm as lágrimas
e ao amanhecer volta a alegria. 

Ouvi, Senhor, e tende compaixão de mim,
Senhor, sede Vós o meu auxílio.
Vós convertestes em júbilo o meu pranto:
Senhor meu Deus, eu Vos louvarei eternamente.

FORMAÇÃO DE CATEQUISTAS

------XVI JORNADAS CATEQUÉTICAS
-----------de 9 a 15 de julho - online
-----------------------inscrições até 4 de julho
Se é CATEQUISTA, educador ou algum tema é do seu interesse
---INSCREVA-SE---- para:
- - dar continuidade à sua FORMAÇÃO permanente;
- -VIVER e partilhar EXPERIÊNCIAS, descobrir novas FERRAMENTAS;
- -ALIMENTAR a vida espiritual;
- -CRIAR laços fraternos com outros catequistas/agentes de pastoral...
pois, acompanhar a iniciação à plenitude da vida cristã é uma missão complexa e exigente!
Aproveite esta OPORTUNIDADE FORMATIVA!

…………..……P r o g r a m a……….

Dias 9, 12,14 de julho
-1-A opção missionária no Novo Diretório: como gerar processos de iniciação à fé com os pais e na família
-2-Batismo: assumir um estilo de vida e de missão
-3-A catequese na, com e da família, no Novo Diretório: implicações práticas

Dias 10, 13,15 de julho
-4- Introdução à fé – itinerários do crer na Sagrada Escritura
-5-Espiritualidade e acompanhamento espiritual: um desafio para as comunidades cristãs
-6-A adolescência: conhecer, compreender e comunicar de forma colaborativa e consciente

Dias 10- as 9.30 às 13h
-7- O que a Pandemia nos recorda sobre a transmissão de fé
-8-JMJ (Jornadas Mundiais da Juventude): uma oportunidade de renovação

INSCRIÇÃO:
As inscrições, deverão ser submetidas até dia 4 de julho no formulário: https://www.catequesedoporto.com/index.php
 O Valor da mesma é de 10 € por cada percurso e 5€ pelos encontros formativos. Quem se inscrever num percurso pode participar gratuitamente num dos encontros de sábado. A falta de recursos financeiros não será um impedimento para participar, contacte o SDEC.

 O link para aceder à formação será enviado por e-mail.

Inscreva-se já, convide e motive outros catequistas!

Secretariado Diocesano Educação Cristã
Diocese do Porto 

quarta-feira, 23 de junho de 2021

FESTAS EM HONRA DE S. PEDRO

INFORMAÇÃO IMPORTANTE 
 

FALECEU

Profundamente consternados informamos que faleceu o Sr. Amílcar Soares da Silva Campos, marido da nossa catequista Sónia Campos.
Para quem não pode estar no funeral, informamos que a missa de 7º dia será no sábado, 26 de junho, pelas 19h00, na Capela de S. Martinho.
Neste momento de grande dor e provação, a nossa oração e abraço de sentidos pêsames à Sónia, suas filhas e toda a família.

NASCIMENTO DE S. JOÃO BATISTA-SOLENIDADE

 

ORAÇÃO COLECTA

Senhor, que enviastes São João Baptista
a preparar o vosso povo para a vinda do Messias,
concedei à vossa família o dom da alegria espiritual
e guiai o coração dos fiéis no caminho da salvação e da paz.
Por Nosso Senhor Jesus Cristo, vosso Filho,
que é Deus convosco na unidade do Espírito Santo.

terça-feira, 22 de junho de 2021

«A GRANDE DESGRAÇA DESTE MUNDO NÃO É HAVER PESSOAS SEM-DEUS, MAS QUE SEJAMOS CRISTÃOS TÃO MEDÍOCRES»

(...)
A verdadeira questão da Igreja é não saber gerar mais que cristãos e padres medíocres, aburguesados, combatidos pela posição a ter no confronto dramático com a história: a posição do sofá ou a de adequar-se aos “novos movimentos” na moda e à sua pretensão de fundar um mundo novo. Um padre não pode permanecer medíocre a longo prazo. É verdade, no entanto, que de padres medíocres – marinheiros de água doce, para usar uma expressão de S. Camillo de Lellis – temos que chegue. A mediocridade, com efeito, navega sempre em águas doces. A autenticidade, pelo contrário, experimenta-se em mar aberto.

«O chamamento de Cristo é para os fortes; é para os rebeldes à mediocridade e à cobardia da vida cómoda e insignificante; é para aqueles que ainda conservam o sentido do Evangelho e sentem o dever de regenerar a vida eclesial pagando-o em pessoa e carregando a cruz» (Paulo VI).
(...)
«A Igreja não precisa de muitos burocratas e funcionários, mas de missionários apaixonados, devorados pelo entusiasmo de comunicar a verdadeira vida. Os santos surpreendem, desinstalam, porque a sua vida nos chama a sair da mediocridade tranquila e anestesiadora» (ibidem).


DIA MUNDIAL DOS AVÓS

MENSAGEM DO SANTO PADRE FRANCISCO
PARA O I DIA MUNDIAL DOS AVÓS E DOS IDOSOS

[4º domingo de julho – 25 de julho de 2021]

«Eu estou contigo todos os dias»
Queridos avôs, queridas avós!

«Eu estou contigo todos os dias» (cf. Mt 28, 20) é a promessa que o Senhor fez aos discípulos antes de subir ao Céu; e hoje repete-a também a ti, querido avô e querida avó. Sim, a ti! «Eu estou contigo todos os dias» são também as palavras que eu, Bispo de Roma e idoso como tu, gostaria de te dirigir por ocasião deste primeiro Dia Mundial dos Avós e dos Idosos: toda a Igreja está solidária contigo – ou melhor, connosco –, preocupa-se contigo, ama-te e não quer deixar-te abandonado.

Bem sei que esta mensagem te chega num tempo difícil: a pandemia foi uma tempestade inesperada e furiosa, uma dura provação que se abateu sobre a vida de cada um, mas, a nós idosos, reservou-nos um tratamento especial, um tratamento mais duro. Muitíssimos de nós adoeceram – e muitos partiram –, viram apagar-se a vida do seu cônjuge ou dos próprios entes queridos, e tantos – demasiados – viram-se forçados à solidão por um tempo muito longo, isolados.

O Senhor conhece cada uma das nossas tribulações deste tempo. Ele está junto de quantos vivem a dolorosa experiência de ter sido afastado; a nossa solidão – agravada pela pandemia – não O deixa indiferente. Segundo uma tradição, também São Joaquim, o avô de Jesus, foi afastado da sua comunidade, porque não tinha filhos; a sua vida – como a de Ana, sua esposa – era considerada inútil. Mas o Senhor enviou-lhe um anjo para o consolar. Estava ele, triste, fora das portas da cidade, quando lhe apareceu um Enviado do Senhor e lhe disse: «Joaquim, Joaquim! O Senhor atendeu a tua oração insistente» [1]. Giotto dá a impressão, num afresco famoso [2], de colocar a cena de noite, uma daquelas inúmeras noites de insónia a que muitos de nós se habituaram, povoadas por lembranças, inquietações e anseios.

Ora, mesmo quando tudo parece escuro, como nestes meses de pandemia, o Senhor continua a enviar anjos para consolar a nossa solidão repetindo-nos: «Eu estou contigo todos os dias». Di-lo a ti, di-lo a mim, a todos. Está aqui o sentido deste Dia Mundial que eu quis celebrado pela primeira vez precisamente neste ano, depois dum longo isolamento e com uma retomada ainda lenta da vida social: oxalá cada avô, cada idoso, cada avó, cada idosa – especialmente quem dentre vós está mais sozinho – receba a visita de um anjo!

Este anjo, algumas vezes, terá o rosto dos nossos netos; outras vezes, dos familiares, dos amigos de longa data ou conhecidos precisamente neste momento difícil. Neste período, aprendemos a entender como são importantes, para cada um de nós, os abraços e as visitas, e muito me entristece o facto de as mesmas não serem ainda possíveis em alguns lugares.

Mas o Senhor envia-nos os seus mensageiros também através da Palavra divina, que Ele nunca deixa faltar na nossa vida. Cada dia, leiamos uma página do Evangelho, rezemos com os Salmos, leiamos os Profetas! Ficaremos comovidos com a fidelidade do Senhor. A Sagrada Escritura ajudar-nos-á também a entender aquilo que o Senhor nos pede hoje na vida. De facto, Ele manda os operários para a sua vinha a todas as horas do dia (cf. Mt 20, 1-16), em cada estação da vida. Eu mesmo posso dar testemunho de que recebi a chamada para me tornar Bispo de Roma quando tinha chegado, por assim dizer, à idade da aposentação e imaginava que já não podia fazer muito de novo. O Senhor está sempre junto de nós – sempre – com novos convites, com novas palavras, com a sua consolação, mas está sempre junto de nós. Como sabeis, o Senhor é eterno e nunca vai para a reforma. Nunca.

No Evangelho de Mateus, Jesus diz aos Apóstolos: «Ide, pois, fazei discípulos de todos os povos, batizando-os em nome do Pai, do Filho e do Espírito Santo, ensinando-os a cumprir tudo quanto vos tenho mandado» (28, 19-20). Estas palavras são dirigidas também a nós, hoje, e ajudam-nos a entender melhor que a nossa vocação é salvaguardar as raízes, transmitir a fé aos jovens e cuidar dos pequeninos. Atenção! Qual é a nossa vocação hoje, na nossa idade? Salvaguardar as raízes, transmitir a fé aos jovens e cuidar dos pequeninos. Não vos esqueçais disto.

Não importa quantos anos tens, se ainda trabalhas ou não, se ficaste sozinho ou tens uma família, se te tornaste avó ou avô ainda relativamente jovem ou já avançado nos anos, se ainda és autónomo ou precisas de ser assistido, porque não existe uma idade para aposentar-se da tarefa de anunciar o Evangelho, da tarefa de transmitir as tradições aos netos. É preciso pôr-se a caminho e, sobretudo, sair de si mesmo para empreender algo de novo.

Portanto existe uma renovada vocação, também para ti, num momento crucial da história. Perguntar-te-ás: Mas, como é possível? As minhas energias vão-se exaurindo e não creio que possa ainda fazer muito. Como posso começar a comportar-me de maneira diferente, quando o hábito se tornou a regra da minha existência? Como posso dedicar-me a quem é mais pobre, se já tenho tantas preocupações com a minha família? Como posso alongar o meu olhar, se não me é permitido sequer sair da residência onde vivo? Não é um fardo já demasiado pesado a minha solidão? Quantos de vós se interrogam: Não é um fardo já demasiado pesado a minha solidão? O próprio Jesus ouviu Nicodemos dirigir-Lhe uma pergunta deste tipo: «Como pode um homem nascer, sendo velho?» (Jo 3, 4). Isso é possível – responde o Senhor –, abrindo o próprio coração à obra do Espírito Santo, que sopra onde quer. Com a liberdade que tem, o Espírito Santo move-Se por toda a parte e faz aquilo que quer.

Como afirmei já mais de uma vez, da crise que o mundo atravessa, não sairemos iguais: sairemos melhores ou piores. E «oxalá não seja mais um grave episódio da história, cuja lição não fomos capazes de aprender [somos de cabeça dura!]. Oxalá não nos esqueçamos dos idosos que morreram por falta de respiradores (...). Oxalá não seja inútil tanto sofrimento, mas tenhamos dado um salto para uma nova forma de viver e descubramos, enfim, que precisamos e somos devedores uns dos outros, para que a humanidade renasça» (Papa Francisco, Enc. Fratelli tutti, 35). Ninguém se salva sozinho. Devedores uns dos outros. Todos irmãos.

Nesta perspetiva, quero dizer que há necessidade de ti para se construir, na fraternidade e na amizade social, o mundo de amanhã: aquele em que viveremos – nós com os nossos filhos e netos –, quando se aplacar a tempestade. Todos devemos ser «parte ativa na reabilitação e apoio das sociedades feridas» (Ibid., 77). Entre os vários pilares que deverão sustentar esta nova construção, há três que tu – melhor que outros – podes ajudar a colocar. Três pilares: os sonhos, a memória e a oração. A proximidade do Senhor dará – mesmo aos mais frágeis de nós – a força para empreender um novo caminho pelas estradas do sonho, da memória e da oração.

Uma vez o profeta Joel pronunciou esta promessa: «Os vossos anciãos terão sonhos e os jovens terão visões» (3, 1). O futuro do mundo está nesta aliança entre os jovens e os idosos. Quem, senão os jovens, pode agarrar os sonhos dos idosos e levá-los por diante? Mas, para isso, é necessário continuar a sonhar: nos nossos sonhos de justiça, de paz, de solidariedade reside a possibilidade de os nossos jovens terem novas visões e, juntos, construirmos o futuro. É preciso que testemunhes, também tu, a possibilidade de se sair renovado duma experiência dolorosa. E tenho a certeza de que não será a única, pois, na tua vida, terás tido tantas e sempre conseguiste triunfar delas. E, dessa experiência que tens, aprende como sair da provação atual.

Nisto se vê como os sonhos estão entrelaçados com a memória. Penso como pode ser de grande valor a memória dolorosa da guerra, e quanto podem as novas gerações aprender dela a respeito do valor da paz. E, a transmitir isto, és tu que viveste a tribulação das guerras. Recordar é uma missão verdadeira e própria de cada idoso: conservar na memória e levar a memória aos outros. Segundo Edith Bruck que sobreviveu à tragédia do Holocausto, «mesmo que seja para iluminar uma só consciência, vale a pena a fadiga de manter viva a recordação do que foi… e continua. Para mim, a memória é viver» [3]. Penso também nos meus avós e naqueles de vós que tiveram de emigrar e sabem quanto custa deixar a própria casa, como fazem muitos ainda hoje à procura dum futuro. Talvez tenhamos algum deles ao nosso lado a cuidar de nós. Esta memória pode ajudar a construir um mundo mais humano, mais acolhedor. Mas, sem a memória, não se pode construir; sem alicerces, tu nunca construirás uma casa. Nunca. E os alicerces da vida estão na memória.

Por fim, a oração. Como disse o meu predecessor, Papa Bento (um idoso santo, que continua a rezar e trabalhar pela Igreja), «a oração dos idosos pode proteger o mundo, ajudando-o talvez de modo mais incisivo do que a fadiga de tantos» [4]. Disse-o quase no fim do seu pontificado, em 2012. É belo! A tua oração é um recurso preciosíssimo: é um pulmão de que não se podem privar a Igreja e o mundo (cf. Papa Francisco, Exort. ap. Evangelii gaudium, 262). Sobretudo neste tempo tão difícil para a humanidade em que estamos – todos na mesma barca – a atravessar o mar tempestuoso da pandemia, a tua intercessão pelo mundo e pela Igreja não é vã, mas indica a todos a serena confiança de um porto seguro.

Querida avó, querido avô! Ao concluir esta minha mensagem, gostaria de indicar, também a ti, o exemplo do Beato (e proximamente Santo) Carlos de Foucauld. Viveu como eremita na Argélia e lá, naquele contexto periférico, testemunhou «os seus desejos de sentir todo o ser humano como um irmão» (Enc. Fratelli tutti, 287). A sua história mostra como é possível, mesmo na solidão do próprio deserto, interceder pelos pobres do mundo inteiro e tornar-se verdadeiramente um irmão e uma irmã universal.

Peço ao Senhor que cada um de nós, graças também ao seu exemplo, alargue o próprio coração e o torne sensível aos sofrimentos dos últimos e capaz de interceder por eles. Oxalá cada um de nós aprenda a repetir a todos, e em particular aos mais jovens, estas palavras de consolação que ouvimos hoje dirigidas a nós: «Eu estou contigo todos os dias». Avante e coragem! Que o Senhor vos abençoe.

Roma, São João de Latrão, na Festa da Visitação da Virgem Santa Maria, 31 de maio de 2021.

Francisco

sábado, 19 de junho de 2021

FOLHA DOMINICAL: informações e reflexões importantes para toda a comunidade

DOMINGO XII DO TEMPO COMUM - Ano B

SALMO RESPONSORIAL Salmo 106 (107), 23-24.25-26.28-29.30-31 (R. 1b)
Refrão: Cantai ao Senhor, porque é eterno o seu amor. 

Os que se fizeram ao mar em seus navios,
a fim de labutar na imensidão das águas,
esses viram os prodígios do Senhor
e as suas maravilhas no alto mar. 

À sua palavra, soprou um vento de tempestade,
que fez encapelar as ondas:
subiam até aos céus, desciam até ao abismo,
lutavam entre a vida e a morte. 

Na sua angústia invocaram o Senhor
e Ele salvou-os da aflição.
Transformou o temporal em brisa suave
e as ondas do mar amainaram. 

Alegraram-se ao vê-las acalmadas,
e Ele conduziu-os ao porto desejado.
Graças ao Senhor pela sua misericórdia,
pelos seus prodígios em favor dos homens.

quarta-feira, 16 de junho de 2021

QUARTA-FEIRA DA SEMANA XI

 

Rezar a Palavra

Ensina-me, Senhor, a dar de mim mesmo, segundo o vosso coração generoso. Tu és o Pai que dá o pão ao semeador e a alegria àquele que semeia toda a espécie de boas obras. Faz o meu coração semelhante ao teu para que a minha oração de cada dia seja a generosidade verdadeira e autêntica.


terça-feira, 15 de junho de 2021

A SEMENTE PEQUENINA

Deita com ternura a semente na terra
É o seu berço natural 
E adormece suavemente
 Tu e a semente
A semente não erra
A semente não mente
Adormece na terra
Aparece depois um fiozinho
Nasce e cresce
Uma flor floresce
Um fruto amadurece
Um pássaro desce
E reza e canta e dança
E debica e agradece
Ao Senhor da messe.
Senhor Jesus,
Dá-me  coração puro e transparente
Como uma nascente
Como uma semente,
E ensina-me a ser simples e leve
Como aquele pássaro que do céu desce.
E reza e canta e come e agradece.

D. António Couto

domingo, 13 de junho de 2021

SANTO ANTÓNIO



ORAÇÃO COLECTA

Deus eterno e todo-poderoso,

que em Santo António destes ao vosso povo

um pregador insigne do Evangelho

e um poderoso intercessor junto de Vós,

concedei que, pelo seu auxílio,

sigamos fielmente os ensinamentos da vida cristã

e mereçamos a vossa protecção em todas as adversidades.

Por Nosso Senhor Jesus Cristo, vosso Filho,

que é Deus convosco na unidade do Espírito Santo.

sábado, 12 de junho de 2021

DOMINGO XI DO TEMPO COMUM - Ano B

 
SALMO RESPONSORIAL
Salmo 91 (92), 2-3.13-14.15-16 (R. cf. 2a)
Refrão: É bom louvar-Vos, Senhor.

É bom louvar o Senhor
e cantar salmos ao vosso nome, ó Altíssimo,
proclamar pela manhã a vossa bondade
e durante a noite a vossa fidelidade. 

O justo florescerá como a palmeira,
crescerá como o cedro do Líbano;
plantado na casa do Senhor,
florescerá nos átrios do nosso Deus. 

Mesmo na velhice dará o seu fruto,
cheio de seiva e de vigor,
para proclamar que o Senhor é justo:
n’Ele, que é o meu refúgio, não há iniquidade. 

PAI-NOSSO

 Com as crianças do 2º ano de catequese REZAMOS

Pai nosso que estais nos céus,
Santificado seja o Vosso nome;
Venha a nós o Vosso reino;
Seja feita a Vossa vontade,
Assim na Terra como no Céu.

O pão nosso de cada dia nos daí hoje
Perdoai as nossas ofensas
Assim como nós perdoamos 
a quem nos tem ofendido,
E não nos deixeis cair em tentação
Mas livrai-nos de todo o mal
Ámen. 

FOLHA DOMINICAL: informações e reflexões importantes para toda a comunidade

FELIZ ANIVERSÁRIO ❤️

 
A comunidade de Vilar do Paraíso deseja Feliz Aniversário ao Sr. Diácono CELESTINO, neste dia em que celebra o seu aniversário natalício.

A nossa oração ao Sagrado Coração de Jesus, a quem pedimos lhe conceda muitos anos de vida e saúde junto da família e ao serviço da comunidade. 

quinta-feira, 10 de junho de 2021

SAGRADO CORAÇÃO DE JESUS – SOLENIDADE

SALMO RESPONSORIAL
Is 12, 2-3.4bcd.5-6 (R. cf. 3)
Refrão: Das fontes da salvação sacia-vos na alegria,
saciai-vos na alegria.

Deus é o meu Salvador,
tenho confiança e nada temo.
O Senhor é a minha força e o meu louvor,
Ele é a minha salvação.

Tirareis água, com alegria,
das fontes da salvação.
Agradecei ao Senhor,
bendizei o seu nome.

Anunciai aos povos a grandeza das suas obras,
proclamai a todos que o seu nome é santo.
Cantai ao Senhor, porque Ele fez maravilhas,
anunciai-as em toda a terra.

Entoai cânticos de alegria e exultai,
habitantes de Sião:
porque é grande no meio de vós
o Santo de Israel.

SANTUÁRIO DE FÁTIMA 2019

Neste dia 10 de junho, seria a Peregrinação Nacional das Crianças ao Santuário de Fátima. Pelos motivos que todos conhecemos ainda não foi possível realizar-se este encontro de fé e oração, junto de Nossa Senhora, dos Pastorinhos e, muito especialmente de Jesus Cristo Nosso Senhor. Como não podemos estar lá  sejamos Peregrinos pelo Coração e recordemos o 2019.