quinta-feira, 3 de julho de 2014

DÚVIDAS, COMO TOMÉ...

Senhor, como Tomé, tantas vezes a dúvida se instala no meu coração.
Sei, Senhor que vês e conheces as minhas dificuldades na experiência de fé. E eu vou dizendo ao longo do caminho, “Creio”, mesmo sem ver, na esperança de poder ver um dia. Esta certeza incerta leva-me a dar passos seguros de acordo com o evangelho. Mas em mim há também uma incerteza certa que tantas vezes me limita o andar e me faz parar na noite. É fácil perder-me na noite e insistir como Tomé na necessidade de ver, mas a fé dos olhos não me tira a inquietação porque os olhos, mesmo vendo, não vêm tudo e não trazem a fé. Então, prefiro dizer “creio” mesmo sem ver.

Adaptado de aliturgia

Sem comentários: