terça-feira, 26 de janeiro de 2016

5º CICLO DE CONVERSAS AMPLAS

2ª CONVERSA
Com: Monsenhor Luciano Guerra
No passado dia 22 de Janeiro realizou-se a 2ª sessão do 5º CCA. Antes da CONVERSA, e como não podia deixar de ser, a noite iniciou com música na prestigiada Academia de Música de Vilar do Paraíso, e a bela voz  de Patrícia Quinta, cantando ave maria de Schubert, acompanhada ao piano pelo professor Hugo Berto.
Apresentado o orador da noite, Mons. Luciano Gomes Paulo Guerra, logo se percebeu que estávamos perante um homem simples, mas determinado e que quis falar de pé para “olhar nos olhos” toda a plateia!
Depois, foi o desfiar das “contas do rosário” dos seus 83 anos de vida, com uma impressionante lucidez, em que começa por começa por dizer que gosta do silêncio, de reflectir, de ser sincero e que é muito importante olhar para dentro de nós…
Revisitou a infância, dando-nos conta de como Fátima já estava presente pela influência da família, quando o pai dizia que a avó tinha ido a Fátima no dia 13 de Outubro de 1917 e que ele lhe perguntara se tinha visto Nossa Senhora. Ela respondeu que não, mas que tinha visto o sol a girar sobre si mesmo, tomando várias cores e que parecia cair sobre a terra. O mesmo escutava do pároco, que tinha ido à Cova da Iria nesse dia e contava o episódio com a mesma vivacidade. Tendo feito ainda em criança a primeira peregrinação a pé até ao Santuário.
Deu entrada no Seminário Diocesano de Leiria, onde adorou estar. Ainda seminarista teve uma pleurisia, e o médico aconselhou ares puros, de montanha, pelo que o bispo o enviou para Fátima onde passou alguns meses.
Mais tarde vem a Universidade Gregoriana de Roma, dizendo que Itália é o país que mais o encanta, pois ali - “tudo está cheio de arte e de história”. Um dia, visitando as maravilhosas Igrejas de Florença, deu-se conta da dimensão e grandiosidade do catolicismo e da internacionalidade da Igreja.
No percurso de formação segue-se a Universidade Pontifícia de Salamanca e, a propósito, referiu que gostou e continua a gostar dos espanhóis, não comungando da ideia de que – “de Espanha, nem bom vento nem bom casamento”.
Após a Ordenação na Sé de Leiria, foi Capelão do Santuário de Fátima e Director da Pia União dos Servitas. Esteve depois na Marinha Grande, em várias paróquias de Paris, voltou a Portugal e em Fevereiro de 1973 foi nomeado Reitor do Santuário de Fátima onde permaneceu durante 35 anos.
Ao longo desses 35 anos dedicados ao Santuário, Mons. Luciano Guerra diz que colocava a si próprio a pergunta: - “porquê eu? Foi o meu bispo que me enviou ou foi Deus?”… “então, pensava sempre no Mistério da Cruz que nos persegue…  a reflexão acerca da Cruz tem me ajudado a interpretar a mensagem de Fátima…”
Considera que Fátima é um lugar de grande profundidade espiritual, seja nas grandes ou pequenas peregrinações, e que isso se deve à mensagem de simplicidade e de verdade de Nossa Senhora, que os  três pastorinhos transmitiram.
À questão referente à felicidade Monsenhor respondeu que tem sido feliz a mais de noventa por cento, e nada mais podia pedir a Deus. Disse ainda que é bem- humorado, gosta de fazer piadas… e adora música – “também porque é outra coisa de dimensão espiritual e o liga à vida sacerdotal”. 
Foi também por esse gosto que, aos poucos, implementou em Fátima o canto litúrgico e toda a beleza e perfeição da celebração da liturgia, como hoje a conhecemos, e que é uma grande escola de formação onde as paróquias vão “beber”.
Lembrou ainda que a Mensagem de Fátima, ligada à recitação do terço, também aqui foi pensada no sentido da ligação à mensagem de Jesus Cristo, porque é na verdade o que Nossa Senhora pediu. Daí a introdução de textos Bíblicos em cada mistério, não esquecendo também a música que deve estar adequada.
De toda a obra feita no Santuário de Fátima é incontornável não falar da Basílica da Santíssima Trindade. Mas Monsenhor Luciano Guerra referiu que foi um projecto não só dele, mas de muita gente, e que a obra final ficou simples, bonita na sua simetria e sem nada que possa distrair do sentindo principal, tal como ele tinha idealizado.
A terminar, deixamos algumas mensagens de Monsenhor Luciano Guerra, para que cada um de nós faça a sua própria reflexão:
 “O futuro a Deus pertence, como pertence o presente e como pertence o passado…
“Cada um tem o seu dom e quem faz avançar a humanidade é quem pensa, quem inventa…”
“O que vale a pena é acreditar em Deus, mas um Deus único…” 
 “Feliz em Deus, sem dúvidas na teologia e sem contendas uns com os outros...”  
“Jesus andou com o povo, é com o povo que a Igreja faz missão…”
“A mensagem de Fátima está em toda a parte…” 
“A civilização da Europa terá salvação quando se olhar para a Palavra de Deus… ” 
“Ai de quem está só, que se cai não pode levantar-se…”
“Sem família não pode haver amor no mundo…
Nota final: Monsenhor Luciano Guerra continua a residir no Santuário de Fátima, onde celebra, é Emérito Membro do Colégio de Consultores e Capelão do Mosteiro da Visitação, na Batalha. 
Agradecimentos:
Equipa da Pastoral da Família
Academia de Música de Vilar do Paraíso
União de Freguesias de Mafamude e Vilar do Paraíso
Câmara Municipal de Vila Nova de Gaia
FotoMartinhoValadares
Pedro Nobre  www.cca.2you.pt/

Sem comentários: