quarta-feira, 1 de fevereiro de 2017

6º CCA – 4ª CONVERSA – “Família e carreira: desafios do XXI”

Com a Dra. Isabel Maria Gil 
Uma mulher com uma carreira de sucesso que ocupa um lugar de topo no mundo académico.
Tal como fez questão de se nos apresentar: mulher, mãe e académica. 
Sem dúvida um currículo académico e profissional exemplar e uma exceção aos números que nos contam as estatísticas!
Depois de algumas considerações sobre a definição de carreira e de alguns apontamentos de evolução histórica, considerou que a condição ou identidade de mulher não gera incompatibilidade entre carreira e família. Na família é possível coexistirem estas duas circunstâncias, exigindo de cada um dos elementos da família a capacidade de gestão de tempo e de abnegação ou recusa, recíprocas, em favor do outro.
Claro que falava da sua experiência e de outros exemplos facilmente identificáveis, pela sua notoriedade pública, que a nosso ver são exceções, positivas, e que são a prova de tal possibilidade.
No entanto, e tal como decorreu de toda a conferência, a estatística conta-nos outras histórias… Dos ingressos no ensino superior e das respetivas licenciaturas, 60% são mulheres, mas na ocupação de lugares de topo, da carreira académica ou cargos de alta direção, os números são inversos. Nesta matemática, a equação não está bem explicada. E não é apenas no nosso país, que sempre estamos tentados, por fado ou sem ele, a rotular como menor, mas também na Alemanha…! No país apontado como referência de um país economica e civilizacionalmente desenvolvido só 10% chegam lá...
Há caminhos para permitir que haja paridade e acesso ao desempenho das funções de topo, embora alguns sejam de recusar…
A mudança de mentalidades é o caminho mais longo e é o que começa mais cedo…
Pese embora existir muitas variáveis que explicam aqueles números, estes deixam-nos um sentimento de que na vida das mulheres a carreira e a família são compatíveis, mas talvez nem tanto….
Mas o exemplo da Dra Isabel Gil, que apesar de todos os seus compromissos e responsabilidades, se dignou vir até uma comunidade humilde e diversificada falar deste tema e da sua vida, deixa-nos a esperança de que exemplos destes se multipliquem e que cada mulher e cada homem possam colocar-se ao serviço do bem comum, segundo os seus talentos, em igualdade de oportunidades e de realização.
Fotos: Foto Martinho
Texto: CR
Orgaização: Pastoral da Família VP 

Sem comentários: