Faça o seu DONATIVO à Paróquia de São Pedro de Vilar do Paraíso. NIB 0018 0000 1016 3256 0017 5, IBAN 001800001016325600175 (Fábrica da Igreja Vilar do Paraíso). Se desejar recibo para efeitos de IRS, envie e-mail para: parocovp@gmail.com. Muito obrigado! Continuação de SANTAS FESTAS PASCAIS.

terça-feira, 8 de outubro de 2019

FÁTIMA: exposição «Amazónia – Yanomami, os guardiões da “Casa Comum”».

O Museu da Consolata – Arte Sacra e Etnologia, em Fátima, inaugura, esta quarta-feira, às 17h00, a exposição «Amazónia – Yanomami, os guardiões da “Casa Comum”».

Através da objetiva do jornalista Francisco Pedro, um “grande interessado pela cultura indígena”, os visitantes são transportados até ao ano 1999, convidando-os a entrar num cenário cujo “tempo cheira a quente e sabe a pó”, segundo as suas palavras, onde nos espera o afável povo Yanomami.

Em perfeita simbiose com as fotografias de Francisco Pedro, encontram-se expostos, até 19 de novembro, alguns objetos do acervo do museu, habitualmente em reserva, dando testemunho de atividades relacionadas com a caça, pesca, alimentação adornos, entre outras.

Os Yanomami vivem em casas comunitárias, as malocas, construídas com madeiras, cipós, esteios, folhas e barros amassados.

A maloca tem normalmente uma só porta, servindo para todas as pessoas da comunidade, composta por vários grupos, onde habitam em comum entre dez a quarenta famílias.

No momento da inauguração irá decorrer um «Chá com Arte» onde vão estar à conversa o jornalista Francisco Pedro e o Padre André Ribeiro, missionário da Consolata, recém-chegado da Missão Catrimani da Amazónia brasileira, para partilhar experiências, e abordar os problemas ecológicos e de direitos humanos, sentidos neste momento no Brasil.

Neste «Mês Missionário Extraordinário» declarado pelo Papa Francisco para assinalar o centenário da Carta Apostólica Maximum Illud do Papa Bento XV e no âmbito do Sínodo “Amazónia: Novos caminhos para a Igreja e para uma ecologia integral” a decorrer em Roma, de 6 a 27 de outubro,  “não podia este espaço museológico deixar de assinalar, através desta exposição temporária, a dimensão missionária na Amazónia, junto de um povo muito caro aos Missionários da Consolata, os índios Yanomami”, lê-se.

Sem comentários: